domingo, outubro 24, 2010

The Cranberries, Órfãos, Viúvas, Estrangeiros e a Solidão


Olá, amores!

Dormi pouquíssimas horas de ontem para hoje, mas estou aqui instigadíssima, como costumo falar para as Meninas do Reino sempre que bate dentro de mim aquele frisson especial, bom demais de sentir e de viver.

Venho de uma deliciosa madrugada.

Ontem, cedinho da noite, viajei para Recife para ver o show da Dolores O'Riordan da The Cranberries.

O show foi lindo!

A Dolores O'Riordan tem uma belíssima voz, as músicas são melodiosas e doces, ela tem uma presença interessantíssima on the stage.
Ela estava muito bem com o vestido do tipo tubinho, vermelho, bem curtinho e muito charmoso, um sobretudo preto belíssimo e botas pretas.

Eu, como sempre, com os sentidos abertos para sentir a vida!


Em muitos momentos, embalada pelo momento e pelas músicas, fechei os olhos agradecendo ao Pai pela celebração da vida ali, e louvava à Ele.

Em determinado momento, parei e observei o mar de gente...
Estava bonito demais de ver!

O entendimento para este post, então, ocorreu-me ali, em meio a isso tudo, observando gente celebrando a vida.

Eu e meus insights!

Bem...
Olhei para a multidão e lembrei daqueles que são Solitários.
Lembrei que a Palavra fala de um cuidado especial de Deus pelos órfãos, viúvas e estrangeiros.

Vejam só!
Esses são tipos de pessoas solitárias.

Meus pensamentos, então, foram imediatamente para Jesus e para seu Evangelho.

Uma leitura da simples letra fria da Escritura diria que a preocupação de Deus é somente com os casos tópicos de pessoas que não tem mais vivas as suas figuras parentais, com as mulheres cujos maridos faleceram, e com aqueles que saíram de seu país e moram em terra estrangeira, onde se fala uma língua diferente.

Parei, pensei..

Vejo Jesus sempre tirando as coisas do âmbito exterior, tópico, e, por isso, contabilizável [..coisa que quem faz é Religião! ha! Não perco a oportunidade... ] e trazendo para o ambiente interior, para a compreensão do Evangelho no nível da consciência, para o lugar de dentro de nós, para o ambiente da alma, da mente e nos conclamando à uma mudança de mente segundo o seu Evangelho, a Metanóia.

Pois, bem...
Nesse espírito, pensei no estado da Solidão.

Pensei nos órfãos de pais vivos.
Pensei nas 'viúvas' cujos maridos dormem ao lado, na mesma cama.
Pensei nos estrangeiros dentro de seu próprio país, estado, cidade, ou até mesmo na sua própria casa.

A Solidão traz pra alma uma Dor Real.

Mas...
Há consolo CERTO, queridos(as)!

Vejam só:

"Pai para os órfãos e defensor das viúvas é Deus em sua santa habitação.
Deus dá um lar aos solitários..."

- Salmo 68: 5 e 6, um Cântico de Davi.

Ele próprio será pai, marido e refúgio para órfãos de pais vivos ou não, para "viúvas" casadas ou viúvas de fato, e para os que trazem na alma a sensação doída de se "viver solitário(a) em terra estranha", seja essa "terra estranha" o que quer que seja que traga a dolorida Solidão, e, com ela o abatimento do espírito.

E...
Para 'regar' com boa música este post, com vocês a Dolores O'Riordan da The Cranberries cantando, para nós, bem assim:


- The Cranberries, Dreams

ps.: Cliquem na letra e vejam o vídeo no Youtube! Vale ver! A música é linda! ;)


- Carla Cristina Luna Accioly

Reações:

8 comentários:

  1. Me acostumei tanto a solidão, que já não vivo sem ela...

    O texto reflete bem a verdade: Solidão não é estar só...

    Fui conferir, música linda não a conhecia.


    P.S
    Vi seu link la no Genizah e vim conhecer, nem preciso dizer que amei.

    Bjs
    Lene

    ResponderExcluir
  2. Carlinha do meu coração...
    Texto lindo.... chorei... de novo.. pra variar... Falou demais ao meu coração, mas pude ser grata a Deus por todo cuidado e carinho por mim...

    bjus mana linda!!!!

    ResponderExcluir
  3. oh Lene!
    Fico alegre por você ter gostado, querida!
    Paz d'Ele!
    Abraço!
    :)

    ResponderExcluir
  4. Amei, Carlinha! Que reflexão bela! aiai... é sem explicação esse Amor do Pai!
    Ah, e que música bela também! x)
    Beijoo, amo tu um MONTE! =D

    ResponderExcluir
  5. Carlinha, minha mana, como é bacana essa experiência de refletir sobre verdades existenciais em pleno show! =]
    Gosto de sua sensibilidade para reflexão e o modo como a transcreve para as letras...rs...
    Obrigada por compartilhar conosco querida!

    E penso mesmo que os órfãos, as viúvas, os oprimidos, injustiçados, existem aos milhares se considerarmos as questões emocionais: "Pensei nos órfãos de pais vivos.
    Pensei nas 'viúvas' cujos maridos dormem ao lado, na mesma cama.
    Pensei nos estrangeiros dentro de seu próprio país, estado, cidade, ou até mesmo na sua própria casa".
    Você falou tudo mana, tudo!

    Que recorramos sempre ao Consolo em Cristo!

    Abraço e ótima semana!

    =]

    ResponderExcluir
  6. Realmente, há várias circunstâncias que nos instigam a uma solidão que as vezes se instaura na alma e nos impede de vivenciar uma vida com abundância de graça. Contudo, como você destacou, "Vejo Jesus sempre tirando as coisas do âmbito exterior..., e trazendo para o ambiente interior, para a compreensão do Evangelho no nível da consciência..."

    Delícia de texto. Ótima interpretação da realidade.

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Carlinha,

    Isso é mais que um post é uma pérola! Sensibilidade ao evangelho em seu coração e olhar...
    Amei muito!
    E vivamos sempre CORAM DEO
    coram deo: expressão latina que significa, literalmente, "diante da face de Deus".

    Bjs minha amiga-mana =)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.