terça-feira, novembro 16, 2010

De Coisas da Vida. Das Simples.


Parei aqui, agora, nada antecipadamente programado.

Melhor, há muitos pensamentos e reflexões sendo gestados, mas nenhum deles está pronto para nascer aqui no Reino das Meninas do Reino.

Uma Segunda-feira calma e silenciosa.

Los Hermanos tocando, baixinho.

Eu.

Muitas abas abertas aqui na tela do meu note.

Vento de praia pela minha janela.

Eu, eu vivendo. Sentindo-me. Aprendendo-me.

Venho de uma noite boa demais.
Fui para a segunda noite de shows do Festival Mundo, evento que está acontecendo aqui na minha cidade e reúne bandas da música independente.

Tudo muito organizado, coisa boa, conhecia muita coisa já, mas conheci bandas novas muito boas.
--
Em Provérbios, em algum lugar, há:

"Até no riso, tem dor o coração."

Ambiguidade.

Sabe...

Te digo uma coisa!
Não se deve esperar que tudo caminhe em circunstâncias perfeitas na vida para que se aproveite o que de bom nos aparece pela frente pra viver.

Depois de uma semana de lutas como mãe, principalmente, o Festival acontece, e, embora cansada, lavei o cansaço do rosto da vida com água fria, pra acordar bem, e fui!

Valeu a pena!
Ha!
--
As vezes penso sobre o "subir com asas como águia", o "correr e não se cansar" e o "caminhar e não se fatigar" [...de Isaías 40] que acontece quando em Deus se espera.
---
[Começou a tocar Último Romance, Los Hermanos, agora, e a música começa bem assim:
"Eu encontrei quando não quis mais procurar o meu amor...".. ;)]

---


Voltando! [hã.. hã..]

Isso me faz refletir!
Não é o subir ou o correr que fatiga.
Percebem?

É o caminhar.
É o dia a dia.
É o "gotejar".
É a escravidão do hábito [Deus me livre disso!].
É o passo a passo.
É o passo a passo que damos, necessariamente, passo a passo.
É o passo pequeno.
Passo que tem que ser dado para o prosseguimento da vida, para o prosseguimento do dia, da hora.
Passo que parece o mesmo todo o dia e todos os dias de tão pequeno e tão repetitivo.
Passo a passo, que por assim ser, não nos permite ver mudanças rápidas na paisagem da vida.

---
[Eu sei que não sou a única impaciente por aqui. Ah! Sei que não! ;)]
---

Bem...
Tenho aprendido a "enfeitar" a paisagem da minha vida enquanto os pequenos passos são dados por mim e a paisagem parece não mudar. Eu disse parece!

Ir para o Festival Mundo ontem foi um "enfeite" que Deus me deu, depois de uma semana de passos pequenos e fatigantes, e que eu usei para "enfeitar" minha "paisagem".

Quero aprender mais sobre isso de enfeitar a paisagem da vida.

Tudo tão ambíguo nesse viver... não é? Hm?

E, nessa vida assim, do passo a passo, com ambiguidades, o Pai Eterno nos garante que quando esperamos n'Ele, mesmo que não vejamos a paisagem da vida ficar colorida como desejamos no tempo que ansiamos, não fatigaremos, pois Ele nos fortalecerá, e será pra nós referencial absoluto.

Eu, agora, aqui, escrevo pra vocês degustando algo muito simples da vida, mas que enfeita minha paisagem, a saber, boa música que meu coração deseja ouvir, a visão da tarde de céu limpo e muitíssimo azul pela minha janela, o silêncio em casa, a quietude da mente, a boa expectativa para a próxima hora e a preparação para um encontro de amigas logo mais, à noite.

É isso.
Como costumo dizer, tudo quanto mais simples for, mais verdade é, e melhor pra mim será.

---

Gosto das letras de Los Hermanos também pela simplicidade que elas têm.

Para quem gosta de música, deixo um "enfeite" de presente para enfeitar a paisagem da vida neste momento: uma boa música que tem uma bonita letra.





Último Romance
Los Hermanos

Eu encontrei quando não quis
Mais procurar o meu amor
E quanto levou foi pr'eu merecer
Antes um mês e eu já não sei
E até quem me vê lendo o jornal
Na fila do pão, sabe que eu te encontrei
E ninguém dirá que é tarde demais
Que é tão diferente assim
Do nosso amor a gente é que sabe, pequena
Ah vai!
Me diz o que é o sufoco que eu te mostro alguém
Afim de te acompanhar
-
E se o caso for de ir à praia eu levo essa casa numa sacola
-
Eu encontrei e quis duvidar
Tanto clichê deve não ser
Você me falou pr'eu não me preocupar
Ter fé e ver coragem no amor
E só de te ver eu penso em trocar
A minha TV num jeito de te levar
A qualquer lugar que você queira
E ir onde o vento for
Que pra nós dois
-
Sair de casa já é se aventurar
-
Ah vai!
Me diz o que é o sossego
Que eu te mostro alguém afim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
Eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar


- Carla Cristina Luna Accioly
Reações:

5 comentários:

  1. Carlinha,

    Eu sempre costumo brincar que gosto de começar o dia com poesia e esse post..."ô diliça", é pra ser apreciado, degustado...suspiros...
    A canção então: viciei...rs
    Que Deus continue a te inspirar e a enfeitar a tua paisagem com pequenos mimos que vem Dele. Os detalhes fazem a diferença minha mana (tu como arquiteta bem sabes).

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Primeira visitinha aqui...mas tuas palavras doces nos enchem de energia. A música,definitivamente sem comentários,ela fala por mim rs.Carlinha lindo post,desde ja acompanhando mais de perto.Bjos minha querida!
    Walquiria

    ResponderExcluir
  3. Alma simples,

    Coração diferenciado,

    Só poderia ser benção.

    Amei.

    Simples assim.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.