quinta-feira, novembro 25, 2010

Jesus, perdidos que foram achados e a Religião


Olá!

Li algo no Facebook essa semana que me fez parar pra refletir muito.
O que li foi escrito tendo como base a bem conhecida parábola de Jesus sobre o Filho Pródigo e encontrou em mim muitos "ecos"!

Como sempre...
Leio ou ouço, guardo no coração.
Ainda há pouco, estava, eu, debruçada sobre o texto bíblico, orando e tentando, digamos, "dar a volta completa", fechar o meu círculo de considerações.
--

Bem...

"Todos os publicanos e pecadores estavam se reunindo para ouvi-lo. Mas, os fariseus e os mestres da lei o criticavam: 'Este homem recebe pecadores e come com eles'."

- Evangelho de Marcos, Capítulo 15.

O Mestre, então, começa a contar, em sequência, três parábolas que trazem o mesmo significado.
É a resposta que Ele dá aos que o criticavam por receber pecadores e comer com eles.

Jesus, como sempre, trata tudo de modo muito simples e direto.
Jesus, mais uma vez, afirma a VIDA com contundência.

Ele conta, primeiramente, a parábola da Ovelha Perdida que foi Encontrada, segue com a parábola da Moeda Perdida que foi Encontrada, e, ao final, Jesus conta a parábola do Filho Perdido que foi Encontrado.

[A parábola encontra-se no Evangelho de Marcos 15:11 em diante.]

Ao contar as parábolas, Jesus, mais uma vez, pronuncia-se contra os da Religião.

Ele expõe com extrema clareza a diferença entre o Caminho d'Ele e a proposta des-GRAÇA-da da Religião e de seus súditos.

--
A parábola:

Temos um filho que pede sua parte da herança ao Pai, vai para um lugar distante, desperdiça tudo irresponsavelmente, mas...

MAS...

Mas, começa a passar necessidades, cai em si, e volta para a casa de seu Pai, contrito no seu espírito e consciente de que não tinha nada a dizer em seu favor, posto que, o cair em si, mostrou-lhe sua indignidade, sua impossibilidade de barganhar qualquer lugar perto de seu Pai [..ele cogitou até ser admitido como empregado e não mais como filho!] e sua total necessidade da Graça de seu Pai para que pudesse retornar para sua casa e corrigir a rota de sua vida em direção ao que gera VIDA, aos braços e os cuidados de seu Pai.

--

[Sabe... sempre que preciso corrigir rotas na vida, lembro-me dessa parábola!]

--
O que faz o Pai?

Bem...
O Pai alegra-se de tal modo pelo retorno do filho que apenas CELEBRA.
Celebra, apenas.
Recebe o filho com honras, e festeja o seu regresso comendo com ele!

O caminho com Jesus é simples assim.
Ponto.

Vale retomar o texto:

"Todos os publicanos e pecadores estavam se reunindo para ouvi-lo. Mas, os fariseus e os mestres da lei o criticavam: 'Este homem recebe pecadores e come com eles'."



Mas, havia um filho mais velho contado na parábola.
Ah sim, havia!
Ele não estava na parábola sem propósito! ha! Jesus respondia à críticas de fariseus.

O que fez o filho mais velho?
Bem..
***
Ele encheu-se de ira quando soube do modo pelo qual o irmão foi recebido pelo Pai.
Ele encheu-se de ira ao ver que "[...]'Este homem recebe pecadores e come com eles'."
***
O filho mais velho não suportou a GRAÇA concedida, recusou-se a celebrar, criticou o Pai.
"Mas, os fariseus e os mestres da lei o criticavam..."
***
O filho mais velho, então, deu contas de toda sua justiça própria ao Pai, e deu contas também dos bens desperdiçados pelo irmão.

"Mas, quando volta para casa esse teu filho, que esbanjou os teus bens com as prostitutas..."

O Pai, então, com longanimidade, enfatiza o que é para ser enfatizado: a VIDA!
Ele não desperdiça palavras e diz com objetividade:

"...tínhamos que celebrar a volta deste seu irmão e alegrar-nos, porque ele estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi achado."

***
"Todos os publicanos e pecadores estavam se reunindo para ouvi-lo..."

Publicanos e pecadores...
Pecadores...
Eu...

--
Jesus ensina muito claramente o seu modo gracioso de lidar com vidas.
Jesus expõe o modo perverso como a Religião trata a vida.
E...
Ele, Jesus, ***que é absolutamente livre e gracioso no seu ser, ***continua à mesa com eles, ***os Pecadores... ***para quem Ele mesmo veio para ser SOMENTE Vida e Salvação.

- Carla Cristina Luna Accioly
Reações:

5 comentários:

  1. E tenho eu, pecadora, me sentado a mesa para comer com meu Mestre... e a minha vergonha e meu pesar ficam esquecidos ao saber que, ao lado dele, nada disso importa! É ele quem me santifica, ele quem justifica a minha presença a mesa.

    Carlinha, minha irmã de coração: obrigada por um reflexão tão edificante!

    Prossigamos nele!
    =]

    ResponderExcluir
  2. Deinha..
    foi algo tão simples que me ocorreu enquanto eu lia o Evangelho de Marcos!

    Encontrei, enquanto lia e a Palavra se atualizava na minha existência, pois o texto pra mim ja era bem conhecido, tantos pontos de contato com minha vida!

    Percebi também mais verdades!

    Prossigamos n'Ele que sempre nos da discernimento para escolher a melhor rota pra sguir na vida, e, mesmo quando da melhor rota nos desviamos Ele nos afirma que está de coração aberto para nos receber de volta!

    Amo-te minha mana!

    ResponderExcluir
  3. Sim, Carlinha...

    Obrigada por não nos deixar esquecer de quem somos: falhos, pecadores, mas ARREBATADORAMENTE amados perlo PAI...
    Amor este que nos constrange, que nos faz querer melhorar, nos faz querer ser SANTOS como Ele é Santo...não por medo do inferno, mas por pura gratidão e consequência da GRAÇA Dele que sobre nós tem abundado.

    Lembrei de uma frase que diz mais ou menos assim:

    "Se eu te adorar por medo do inferno, queima-me no inferno. Se eu te adorar pelo paraíso, exclua-me do paraíso. Mas se eu te adorar pelo que és, não ESCONDA de mim a TUA FACE".

    E Ele não tem escondido Sua face...tem até nos chamado a sentar à mesa com Ele, a compartilhar de Sua intimidade...a reclinar em Seu peito como o apóstolo João...

    Vou parar...tah quase virando post...rs

    Bjs amiga-mana!

    Privilégio é te-la como amiga-mana e Menina do Reino!

    =)

    ResponderExcluir
  4. Meu desejo era que essa compreensão da simplicidade do evangelho virasse uma praga e se alastrasse pelo vento de forma incurável trazendo libertação e paz. Cada vez que leio nos evangelhos Jesus sentado com pecadores, lembro do dia em que Ele me revelou de forma tão simples e amável minha hipócrisia e justiça própria, que não consegui passar um segundo sequer a mais de posse delas. Tenho aprendido dia após dia como é ir-sendo limpo de coração e estar vendo Deus na face de cada um de seus filhos. Abraço. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Paulo Renato: meu desejo tambémmmmmm é esse!!!!

    \o/

    Prossigamos todos nesse amor incondicional!

    =]

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.