segunda-feira, novembro 01, 2010

Microcontos #1

Andava de pés descalços pelo chão da vida. Gostava.

O chão da vida, naquele trecho, estava muito hostil, cheio de muitas pedras com arestas que cortam.
Ela, contudo, afastava-se de tudo o que pudesse falsificar o que era o real daquele chão, não aceitava sandálias para os pés. Não. Não era tempo disso ainda.

Algumas vezes, um medo.
Medo do que não conhecia, do que era novo na paisagem. E era o mesmo medo que crianças sentem quando vêem adultos com semblantes àsperos e geometrizados, e com olhar vago, para lugar nenhum.

A paisagem de então tinha poucas cores.
Naquela estrada em que fazia seu caminho, via-se apenas uma pessoa ou outra, aqui, acolá, indo ou vindo, saudando-a ou não.

A paisagem mudaria, disso tinha a certeza, pois paisagens sempre mudam numa viagem.

Não sabia para qual dos lados estava o mar, mas sentia o cheiro dele. Sentia saudades do litoral.

Fazia seu caminho naquela estrada, não optava por atalhos. Atalhos sempre são cheios de muita gente. Não seguia por caminhos de muita gente. Nunca.

Sabia que quando muitas pessoas estão juntas e caminhando por atalhos é porque elas não sabem para onde estão indo.

Sua vontade não era refém do senso de ninguém, não tinha amarras, tinha tudo o que precisava para prosseguir: a Boa Nova de que chegaria ao lugar certo.

Chegaria o tempo de ter os pés lavados da poeira da estrada.

- Carla Cristina Luna Accioly
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.