segunda-feira, dezembro 20, 2010

Da Proatividade no Ensino do Mestre.




Acordei com um insight e não me contive, vim aqui tentar colocar "no papel", registrar por escrito.

***

Consta que um princípio denominado de "A Regra Áurea" foi afirmado por muitos dos pensadores antigos.

Eis o princípio:

"NÃO façais aos homens o que não quereis que eles vos façam."


Esse dito era bem conhecido nos tempos de Jesus, e, percebe-se, excelente regulamentador de relações sociais.

Contudo, se analisarmos bem, a assertiva não promove, não impulsiona. Ela apenas regulamenta. Ela "morre" nela mesma.

Ao ler e reler, consigo ver que a regra, presente no senso comum, sugere com clareza que existe o que é BOM e o que é MAU, que há o que faz BEM e também há o que faz MAL, e que um indivíduo pode fazer MAL ao outro e praticar contra o seu semelhante o que é MAU.

O caráter NEGATIVO do dito nos remete ao entendimento de somente evitar o que é MAU contra o outro, a partir do entendimento individual do que é MAU para si próprio.

Ponto! Aqui termina.

Rá!
Vox Populi não é Vox Dei!

***

O Senhor Jesus ao falar sobre a Eterna Bondade do Pai, em certo momento, toma para si a Regra Áurea, com sua autoridade a reelabora e a devolve [completamente cheia de NOVO significado!] para os que O ouvem falar.

Disse Jesus:


"Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas."

Se o senso comum elabora uma Regra Áurea, Jesus elabora algo muito mais excelente: uma Regra Divina, afirmando INCLUSIVE que "...esta é a Lei e os Profetas."

***
Ao escrever, neste exato momento, meu espírito se move de fascinação pela pessoa de Jesus!
Quanto mais com Ele caminho, mais com Ele eu quero caminhar!
Para quem irei?
Somente Ele tem essas palavras, sendo Ele mesmo A PALAVRA que dá VIDA!

***
Entendo que ao lançar de volta para o senso comum a assertiva, dessa vez completa de POSITIVIDADE e PROATIVIDADE, o Mestre afirma inevitavelmente a mediocridade da regra quando submetida à luz dos valores do seu reino, que não é deste mundo.

Ele convida os que ouvem seu ensino a alçarem vôos muito mais altos, a saírem da média de entendimento e prática, para um entendimento e uma prática totalmente PRODUCENTE do BEM.

No ensino de Jesus, não há mais que se entender o que é MAU para si para não praticá-lo contra o semelhante, MAS há que se FAZER o BEM ao semelhante de modo completamente GRATUITO.

***
Me perdi nos meus pensamentos logo de manhã.
Me permiti sonhar!
Imaginei, a partir desse NOVO ensino, a possibilidade de existir uma rede de cooperação de todos para o BEM de TODOS.
Um networking PROATIVO e PRODUCENTE do BEM.

Parei, pensei.

Meus pensamentos, de súbito, pararam na profecia de Jesus acerca do que aconteceria nos últimos tempos:

"E, por se multiplicar a iniquidade, o AMOR se esfriará de QUASETODOS."

SIM! Nesses tempos em que vivemos...

Parei, pensei.

Lembrei, no entanto, do ensino do Apóstolo Paulo, sobre NUNCA nos cansarmos de FAZER O BEM.

Temos, então, que são QUASE TODOS, e nãoTODOS.

Estejamos, pois, TODOSdiametralmente distantes do QUASE.

Carla C. L. Accioly [em 02/02/2010]
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.