quinta-feira, dezembro 23, 2010

Há Tempo para Tudo...



Eu e meus companheiros: os meus botões!

Eu penso tanto com os meus botões queridos!

E tenho pensado...

...

Um dos livros da Bíblia que eu já perdi as contas de quantas vezes li é o Eclesiastes.

Sempre que leio, ele me fala algo novo acerca da vida aqui debaixo desse sol.


Por ser um livro que trata de coisas bem existenciais e por ser esta que vos escreve alguém que muito medita sobre as coisas da vida, esse livro é sempre uma novidade.


A sensação sempre tem sido de estar lendo pela primeira vez o livro do sábio Salomão. Até mesmo pelo fato de, não sendo a vida como uma fórmula matematica com resultado exato, e sendo ela não-cartesiana mesmo aos nossos olhos [somos tão finitos!rs!], sempre e sempre algum trecho desse livro encontra em mim seu ponto de contato.


Dessa vez, peguei o marca-texto rosa que minha amiga Ju me deu, e iluminei o seguinte trecho:


"Para tudo há uma ocasião certa;

há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu:


Tempo de nascer e tempo de morrer,

tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou,

tempo de matar e tempo de curar,

tempo de derrubar e tempo de construir,
tempo de chorar e tempo de rir,

tempo de prantear e tempo de dançar,

tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las,

tempo de abraçar e tempo de se conter,
tempo de procurar e tempo de desistir,

tempo de guardar e tempo de jogar fora,
tempo de rasgar e tempo de costurar,

tempo de calar e tempo de falar,

tempo de amar e tempo de odiar,

tempo de lutar e tempo de viver em paz."


(Eclesiastes 3:1-8)



Fiquei pensando...


"Para tudo há uma ocasião certa;..."



E, então, o Sábio relaciona as diversas situações presentes na vida de todos os que vivem, pois é o mesmo, o sol que está sobre todos, sem distinção.


Isso tem me levado a analisar a minha compreensão da vida no momento, na minha busca sequiosa de vivê-la da melhor forma que conseguir alcançar!


Considere-se que o "olhar" que lançamos sobre a vida será determinante para a maneira como
haveremos de vivê-la.
Tenho pensado, então, no tempo para trás de mim hoje, no tempo de hoje e no tempo que me virá, fazendo uma análise da vida como um todo.


Entendo que todos tem a tendência de olhar a vida pontualmente no tempo de hoje, o que se vive no hoje, ainda que haja alguma intenção de se ser previdente quanto ao futuro.



Se alguém sofre no tempo-hoje, o objeto único do pensamento é o sofrimento.

Se alguém está feliz no tempo-hoje, o objeto único do pensamento é a felicidade.

Se alguém está em conflito no tempo-hoje, o objeto único do pensamento é o conflito.

Se alguém está em paz no tempo-hoje, o objeto único do pensamento é a paz.


Enfim...


É bem verdade que se ventos favoráveis sopram nas velas do nosso barquinho da vida, devemos inexoravelmente levantar o rosto e aproveitar a energia eólica [rs!] que faz o barquinho da vida ganhar uma velocidade nova e ir com o barquinho para lugares novos.


Ai daquele que olha para para a vida com tal negatividade que maldiz esses bons ventos, que são em si mesmos promissores de coisas boas, pois os ventos, segundo seu "olhar", "desarrumam os cabelos".

SIM!

Há quem lance esse tipo de olhar pra vida!


Da mesma forma, se ventos contrários sopram contra as velas do nosso barquinho da vida, quem não lutará pra posicionar as velas do barquinho de uma maneira que elas sofram um impacto minimizado da contrariedade dos ventos?

SIM!

Todos lutarão.


O grande lance aqui é que há uma consideração dos diversos momentos da vida que não é de forma alguma pontualizada.
O sábio Salomão considera a vida como algo muito dinâmico.

E, isso é completamente saudável!


Uma visão equilibrada do que é a vida, com seu dinamismo e complexidade, e que, paradoxalmente, também pode ser tão simples, é relacionada com o "olhar" que lançamos sobre ela.


Posto que, de um lado temos que há tempo de coisas tristes e há tempo de coisas alegres, as sábias palavras do rei, nos ajudam a ter a esperança, nos momentos de tristeza, no fato de que tempos de alegria certamente virão!

E, nos ajudam também a não ter 'surtos' de deslumbramento fantasioso nos tempos de alegria que a vida também nos reserva. Assim, podemos aproveitar a alegria da vida com sobriedade!


O entedimento de Salomão nos ajuda a termos os pés no chão e mantermos o eixo do equilíbrio psico-emocional em todas as situações distintas da vida.


...

Foi isso que pensei com os meus meus amigos, os botões!

Beijos carinhosos desta aqui que vos escreve e que pensa muito na vida!

rs!

Carla C.L. Accioly
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.