quinta-feira, maio 05, 2011

A Vida Real de Bub #04


- Nossa, Vento-Sul... quantas coisas tem acontecido no mar e de quantas coisas eu nem tinha conhecimento que existiam, meu amigo!!! A história de Bub, detalhes incríveis sobre Linha do Horizonte, um lugar especial no mar onde é possível conversar com Ela, a memória das bolhas do mar... - disse-lhe eu.

- Ah! Sim, querida! E o Mar guarda muitos segredos! Nem mesmo eu, que já o tenho percorrido todo desde que existo, cheguei a conhecer os seus segredos! O mar é muito grande, Carla! É vasto e imprevisível e viver nele é um desafio a cada novo mesmo Sol, e somente é possível viver em paz no mar se houver em cada ser que nele habita a certeza plena de que o Criador de todas as coisas cuida de tudo, de cada pequeno detalhe da vida de cada ser, com muito cuidado e Amor. É preciso ter humildade diante do mar... com ele não se brinca! Ele é maior que todos nós. Ele não conversa com ninguém, apenas existe, como Mar que é. Ele não explica a si mesmo, ele apenas é vivido por todos. Ele algumas vezes pode ser hostil, as vezes doa bondades para alguns e faz outros chorarem, as vezes ele até agride, as vezes ele fica em plena calmaria e... quando isso acontece... todos se reúnem para respirar o ar da calma, para celebrar a felicidade de não haver tormentas.

Eu respirei fundo, pensativa. "Que absurdo belo!", pensei eu.

- E a Bub...? Conte-me como ela nasceu, amigo!

- Ah! Sim!... sobre Bub tenho muitas coisas pra te contar! Primeiramente...

- Sim...?

- Bom... em meio àquele Inverno difícil de atravessar, cheio das tais ondas estranhas, violentas e com más intenções dentro de si, duas ondas imensas e bravas... err... ondulavam... - Devo dizer ondulavam? Sim, sim, devo, pois ondas não caminham, pois não possuem dois pés como os humanos, claro... onda...err.. pode somente ondular, lógico!!! - ponderou para si mesmo. - Bem... ondulavam velozmente e com muita força e energia e determinação.

- Sim...

- Essas duas ondas estranhas entreolharam-se, ainda distantes uma da outra, e um mau sentimento dentro delas fez com que ficassem ainda mais enraivecidas.

- Nossa!

- Sim... elas se comportavam assim sempre...

- Que triste isso... como pode haver quem cultive em si sentimentos dessa natureza se eles somente causam o mal?!!! Que insensatez!!! Se o mau faz mal por que cultivá-lo dentro de si...?

- Elas estavam acostumadas à prática do mal, e uma vez que pratica-se o mal obstinadamente, ele vai sendo internalizado de tal forma que torna-se parte do ser interior de quem o pratica. Foi Linha do Horizonte quem me explicou isso.

- Então... da mesma forma acontece quando praticamos o bem, não é? A prática do bem, motivados pelo Amor, vai nos moldando e gera em nós o que é bom.

- Sim, isso mesmo, Carla! Isso mesmo! - Veja só... - continuou. - as duas ondas estranhas, obstinadas e inconsequentes, fitaram-se e partiram uma em direção à outra com muita velocidade e força e raiva. Eram insensatas. Partiram convictas do que queriam, que era medir forças, uma com a outra... !!! Assim... com muita violência... chocaram-se... !!!

- Estou aqui tentando imaginar a sonoridade desse momento... - falei.

- Sim... e os ventos também estavam nervosos!

- Como pode? - falei contrariada.

- Hum?

- Como pode dois seres, que até da mesma natureza são, serem capazes de intentar o mal um contra o outro?

- Olhe, amiga! Até as ondas bondosas, reflexivas como são, não conseguiram ainda encontrar tal resposta. Tenho certeza de que Linha do Horizonte poderia explicar isso.

- Como eu lamento...

- Bem... foi do choque dessas duas ondas estranhas e sem afeição por nada ou ninguém... que nasceram muitas, mas muitas bolhinhas do mar. Dentre essas bolhinhas, nasceu também a Bub. Era uma noite muito escura! Nuvens densas encobriam as estrelas do céu. Uma umidade salgada saturou o ar. Raios e trovões conversavam com o mundo com fúria. Mas... esse foi um dia especial na vida dela. Foi quando ela nasceu. Nasceu e sobreviveu. Sobreviver era algo grandioso naqueles dias...

***


- Carla Cristina Luna Accioly




Reações:

5 comentários:

  1. Carlinha,

    A história de Bub está cada vez mais empolgante, mais doce e mais linda! Muito interessante a reflexão q seu conto nos traz... "Como pode dois seres, que até da mesma natureza são, serem capazes de intentar o mal um contra o outro?".
    Sei que esse conto ainda vai nos envolver, nos alegrar e nos ensinar muitoooo!
    Acompanhando cada postagem com muita alegria.
    Bjssss!
    Tua mana, Lelinha.

    ResponderExcluir
  2. Estou acompanhando...
    Quero conhecer Bub e ouvir a linha do horizonte.
    Bub vai conhecer a linha do horizonte?

    Quando sai o próximo? rsr

    ResponderExcluir
  3. Carlinha!!! Linda!!

    Está entrínsica em ti uma autora para contos e encantos, visse???

    Que a Graça do Pai aperfeiçoe esse Dom em ti!!!

    bjhos

    ResponderExcluir
  4. Preciso fazer uma confissão: ESTOU APAIXONADA POR BUB!!! I'm fall in love

    ResponderExcluir
  5. Quanto mais eu leio Bub, mais eu quero ler...Tb "paxonei" Nozinha....rs

    Parabéns Carlinha, tah lindo demais!

    =)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.