segunda-feira, março 28, 2011

A grande comi$$ão





Ando incomodada com alguns cartazes que tenho visto espalhados pela cidade. Um convida a um evento de vida vitoriosa, outro anuncia uma grande cruzada de milagres. Se por um lado cabe uma parcela de alegria por vivermos em um país de liberdade religiosa no qual convites de tal ordem podem ser amplamente anunciados. Por outro lado, grande é a parcela de tristeza que perpassa meu coração ao observar aquilo que é promessa, aquilo que é consequência de uma vida Nele, ser anunciado com tanta ênfase.

Em nenhum dos cartazes que vi o nome Dele é mencionado, apenas  os preletores e cantores  se destacam. Mas percebo que é algo feito em nome Dele, mas será que é realmente Dele e para Ele?

Não cabe a mim esse julgamento, mas cabe a cada um de nós que possuímos uma mínima consciência do que seja evangelho ficar alertas. O mercado em nome Dele é cada vez mais vasto e confesso que já fui uma fiel consumidora. Entretanto, em minha última experiência dentro de uma “loja evangélica” fiquei frustrada. A maior parte das prateleiras era abarrotada de livros de auto-ajuda gospel, entretanto ainda opto pela ajuda que vem do alto. Alguns produtos eram tão caricatos e “vendiam” tão fortemente a ideia de gueto que senti náuseas. Saí dali triste. Sem nada nas mãos, além do coração.

Fico a me perguntar: será que eles erraram ao interpretar a ordem de Jesus acerca da grande comissão e entenderam que é preciso levantar uma grande comi$$ão? E não falo apenas dos ajuntamentos em terra real, em muitos blog’s ditos subversivos e cristãos, o viés tem sido o mesmo. Duas faces de uma mesma e vil moeda.

Creio que existe uma igreja cristã dentro da igreja evangélica e isso me impulsiona a prosseguir. Mas tristemente percebo que se nos sobreviesse ainda que uma exígua perseguição, a maior parte da massa dita evangélica debandaria para muito longe. Assim foi no tempo do Mestre, por que não seria agora? O tempo passa, as pessoas continuam as mesmas e o Pai tão sabiamente nos ensina a não olhar o exterior mas sim o coração. Nem tamanhos e nem aparências, é a essência, ou como diz a passagem bíblica: “filho meu, dá-me o teu coração”.

Ainda estou aprendendo e muito ainda tenho a aprender sobre o que seja caminhar com Jesus, mas a despeito de muitas coisas que ainda não sei, há algumas que já sei. Sei, por exemplo, que andar com Ele é mais do que vestir uma camiseta com Seu nome, colar um adesivo no carro ou comprar produtos “ungidos” [afinal de contas temos que abençoar os irmãos, amém? Será mesmo?!]. Sei também que em muitos momentos da caminhada haverá lutas, dores e dissabores. Haverá dias em que o sobrenatural será conseguir não duvidar do Seu amor por mim e pela humanidade que me cerca. Existirão dias sem milagres, sem vitórias e cheios de aflições, nos quais Ele me lembrará que “é preciso ter bom ânimo”. Também chegarão os dias de volta dos exílios, da libertação de cativeiros, de estar como quem sonha, de provar que Ele é poderoso para fazer tudo, muito, mais, abundantemente e além do que pedimos ou pensamos (Ef. 3:20). Há dias e dias. Há um tempo certo para todas as coisas. (Ec 3:1). O fato é que seja em dias bons ou maus, Ele sempre está ao nosso lado.

Não acredito em um amor condicional, não um verdadeiro amor. A bíblia me ensina que o amor não busca seus próprios interesses (1 Co 13). Se buscarmos andar com Cristo apenas pelos bens que podemos receber, pelos milagres, curas e vitórias. Talvez estejamos nos enganando, pensando que O amamos quando não O amamos verdadeiramente. Quem ama buscando algo em troca, não ama. Simples assim.

Confesso que já não me estranha o fato de que naquele “dia” Ele irá dizer a muitos que “se apartem Dele, pois jamais os conheceu”. O amor é o elo que nos une à Ele, que nos torna conhecidos Dele e que faz Ele conhecido em nós.

Que eu saiba amá-Lo, que eu me deixe amar por Ele e que eu possa falar sempre do amor Dele pelo caminho (essa última lição aprendi com o @juliomoreira79 - olha os direitos autorais aí gente!), é esse meu sincero desejo.

Termino com as palavras de Rabia al Adawiya al Qadsiyya:

“Se eu te adorar por medo do inferno, queima-me no inferno. Se eu te adorar pelo paraíso, exclua-me do paraíso. Mas se eu te adorar pelo que Tu és, não esconda de mim a Tua face”



Em amor e temor,

Roberta Lima



























Reações:

3 comentários:

  1. Assim que retornei do campo, ministrei numa igreja algo semelhante ao conteúdo do texto, na época muitos missionários retornavam de países carentes de obreiros por falta de sustento no campo, e encontravam em suas "bases" igrejas lotadas de pessoas saltando e alegres diante de DEUS! Confesso que fiquei inquieta por muito tempo com isso, ainda não me conformei com essa situação. Não desisto de incutir na mente do povo de Deus que a GRANDE COMISSÃO, não foi revogada, e muito menos teve suas regras alteradas!
    Esses MEGA EVENTOS e suas MEGAS VIGILIAS são na realidade GRANDES EQUIVOCOS GOSPEL
    No amor do MESTRE

    ResponderExcluir
  2. Foi muito bom ler este texto .. Eu também as vezes fico confusa e espantada até , com alguns cartazes que vejo, nem elevo minha extranhezas tal , para não julgar(rsrs), eu só digo misericórdia Senhor me ensine se estou errada ou exagerando .. (rs) Mas sei que não estou errada quanto minha extranheza..É, como você disse e como está escrito na bíblia, o amor não busca interesses, se estamos fazendo tal contribuição para a obra do Senhor por interesses Não O amamos , estamos nos enganando , e o pior , não O conhecemos..Precisamos viver (1 Co 13),entregar nosso coração ao Senhor!

    Em amor,

    eu ..rs

    ResponderExcluir
  3. Muito bom esse post........Maravilhoso esse blog. Parabéns meninas, que Deus continue abençoando vcs.......

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.