sábado, maio 28, 2011

Sofrimento


Talvez o maior questionamento da raça humana envolve a questão do sofrimento e suas causas. Parece que o sofrimento é paradoxal ao caráter de nosso Deus.
Ao tocarmos nesse assunto, somos remetidos ao personagem que mais abordou esta causa e que cremos ter preciosas lições a nos ensinar.
Vemos a história de um homem bem sucedido que tinha tudo e que vivia de maneira íntegra e reta diante de Deus. Oferecia diariamente sacrifícios a Deus e sua integridade era tanta que se tornou assunto de discussão entre o Senhor e Satanás.
O grande dilema de Jó foi a questão do sofrimento. Como Deus poderia ser soberanamente bom, diante do sofrimento de uma pessoa aparentemente inocente?
Fatidicamente creio que Deus nos permite sofrer para provar nosso coração.
Como pano de fundo à nossa comunicação temos que relatar que foi Deus que entregou Jó para ser provado e não o Diabo que atingiu a Jó.
Disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está em teu poder, somente contra ele não estendas a mão" (Jó 1.10-12).
O grande problema era que Jó conhecia Deus pelo que Ele tinha e não por aquilo que Deus era.
O relacionamento do ser humano com Deus está obscurecido por causa do nosso relacionamento uns com os outros. Nós não podemos amar a Deus pelo que Ele faz por nós, mas sim por aquilo que Ele é. Não podemos amar as pessoas visando o retorno que teremos ou pelo que elas fazem pra nós, mas sim pelo que elas são.
Olhe as palavras do apóstolo dos joelhos de camelo:
"Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora a perseverança deve ter ação completam para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes (Tg 1.2-4). 
perfeitos” aqui não denota a absoluta falta de pecado, mas contem a idéia de ser completamente desenvolvido e maduro.
“íntegros” significa completo em todas as suas partes.
Deus nos permite sofrer também para nos mostrar que não é Ele que precisa de nós, somos nós que precisamos Dele, pois Ele é completo.
O grande problema hoje em questão não é o que a sociedade tem, mas exatamente o que nós não temos. Só porque Deus pode fazer as coisas não significa que Ele é devedor das nossas vontades pessoais, repito:
Só porque servimos a um Deus que pode todas as coisas, não significa que Ele deve fazer por nós todas as coisas!
Somos um monte de crianças pirracentas brigando por algumas balas em cima da mesa.
Expressões do tipo Deus tem que fazer está muito errado. Tudo que eu tinha que fazer eu não fiz, como que Ele que fez tudo tem que fazer ainda mais?
E por último creio que Deus nos faz sofrer para nos mostrar o verdadeiro valor do Drama da Reaproximação.
O livro de Jó é uma figuração geral da raça humana desde a queda de Adão. O homem caiu e como conseqüência veio às dores, as perdas, o sofrimento, a insatisfação e só havia uma solução: reaproximar o homem a sua posição original.
Tem uma música muito cantada no Brasil que diz: “O melhor de Deus ainda está por vir". Acho que poderíamos avisar para o cantor que o melhor de Deus já veio e morreu em uma cruz por nós e não há nada nesta vida que pode ser melhor do que isso (Jo 3.16, Fp 2.5-9).
Gosto de uma frase que diz:
“Meça sua vida pelas perdas e não pelos ganhos, pois a força do amor se põe em sacrifícios e o que mais sofre mais tem pra dar”.
Quando entendemos isso nos colocamos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus que é o nosso culto racional “intencional, com entendimento” (Rm 12.1).
Em tempos de egoísmo total lembrarmos do testemunho dos Moravianos que no séc 18, depois de um relógio de oração de 365 dias enviou dois jovens de 20 anos como escravos para a evangelização de uma ilha no leste da África onde mais de 2000 pessoas tinham sido feitas escravas soa quase como uma utopia (descrição imaginativa de uma sociedade ideal).
 Quando iremos ouvir orações do tipo:
"Que o cordeiro que foi imolado receba a recompensa do seu sofrimento"
"Se Deus não fizesse mais nada pra nós, só quem o Senhor é já seria suficiente para que nós o adoremos por todos os nossos dias".
"Deus nós te amamos pela revelação de quem o Senhor é e não pelo que o Senhor ainda pode nos dar".
A grande lição da vida de Jó foi ele ser recolocado em uma posição que ele pudesse ver Deus e expressar confiança e satisfação completa NELE.
"Então, respondeu Jó ao SENHOR:Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado, Quem é aquele, como disseste, que sem conhecimento encobre o conselho? Na verdade, falei do que não entendia; coisas maravilhosas demais para mim, coisas que eu não conhecia. Escuta-me, pois, havias dito, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás.
Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem" (Jó 42.1-5).
É interessante ver que a restituição de Deus na vida dele não foi quando seus bens foram devolvidos, mas sim quando Deus corrigiu o seu coração e ele reconheceu a soberania de Deus.
"Mudou o SENHOR a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e o SENHOR deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra" (Jó 42.10).
Estou convencido que Deus nos faz sofrer porque Ele é bom e sabe qual é o ALVO maior deste Deus soberano e terrivelmente poderoso? VOCÊ.
Gere novas perspectivas com suas causas e sofrimentos,
Fraternalmente;

David Júnio

Fonte: www.igrejadecitrolandia.blogspot.com
Reações:

Um comentário:

  1. Ótimo texto!

    Geralmente temos aquele velho problema: só lembramos que precisamos Dele e que precisamos buscá-Lo com intensidade quando a coisa aperta pro nosso lado....

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.