terça-feira, julho 23, 2013

Quem precisa de conselhos?!?



Às vezes me pergunto se algumas pessoas verdadeiramente acreditam
em algumas dessas frases prontas que leem e então as transformam em “conselhos” para todos os outros que lerão sua “linha do tempo” nas redes sociais. Esclareço, antes, que não sou contra citações e frases, ao contrário, costumo anotar tudo o que me edifica de verdade.

Deparei-me com o seguinte “tríplice conselho” noutro dia: “Aprenda a não precisar de ninguém. Crie poucas expectativas esperando menos das pessoas, troque a decepção pela surpresa”.

Uma rápida leitura, dessas que não necessitam nenhum esforço de reflexão, me faria gostar desse tom de “espere menos, então terá menos decepções e mais surpresas”. Mas não foi o caso. Pelo que, refletindo, discordo.

Todos nós precisamos de alguém. Somos seres moldados para relacionamentos, não fosse assim, que explicação teria para a explosão das redes sociais, dos problemas de solidão, depressão e tantos males modernos mesmo numa era de comunicação globalizada? E precisar do outro é uma coisa boa. Depender só de nós mesmos é que é ruim! Imagine-se conquistando, sozinho, algo pelo qual você tanto batalhou. Mesmo sendo improvável que ninguém tenha cooperado com você durante todo o processo, ainda que absolutamente tudo tivesse dependido de você para essa conquista, se não houver com quem compartilhar essa vitória, qual é a graça? Que propósito há? Com quem irá celebrar? Acredito sinceramente que as melhores coisas são as compartilhadas.

É bom ter expectativas sim! É fato que nem todas as pessoas corresponderão às nossas expectativas, mas isso geralmente é culpa nossa, não delas! Porque geralmente colocamos sobre elas expectativas elevadas demais. Conhecendo-me um pouco, sei que sou exigente com muita coisa que faço ou me proponho a fazer, se eu depositar a mesma expectativa sobre outra pessoa estou ciente de que posso me frustrar. Aprendamos então, com a frustração e até mesmo com a decepção. Sejamos mais leves, pacientes, compreensivos, com elas e conosco. Prefiro apostar que as pessoas podem me surpreender e ir muito além de minhas expectativas.

Então, descartando completamente o conselho que li, eis a minha proposta:

Aprenda a precisar de alguém. Compartilhe, solicite, faça-se presente.
Crie expectativas realistas. E ria, ache graça com as diferenças.
Aprenda com as decepções. Surpreenda e perdoe. Ame e arrisque-se.


Nas palavras de Cardeal Mercier (1851-1926): “Para unir é preciso amar, para amar é preciso conhecer, para conhecer é preciso ir ao encontro do outro.”, esse sim, me parece um conselho muito mais sábio, mais humano e muito mais realista. E se não bastasse, esse é um conselho ao estilo do Deus dos cristãos: "Ame teu próximo como a ti mesmo".


---------------------

#2 Andréa Cerqueira
(@acspira)
Reações:

Um comentário:

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.