sexta-feira, setembro 03, 2010

Confessional #2 - Meu ERRO


Começo dizendo que é muito bom mas também muito raro acertar quando erramos, mas em razão da dinâmica inerente à vida, muitas vezes o “erro” transforma-se em “acerto”.



Vou ilustrar essa afirmação com um exemplo bem prático e real: Há alguns dias atrás, errei ao comprar um livro, era o mesmo autor com 2 títulos diferentes. Imaginei ter comprado um, até comuniquei ao autor que havia adquirido tal exemplar, mas qual foi minha surpresa ao chegar o correio com a encomenda e um título diverso. Ocorre que por sugestão do autor, o livro que recebi era mais interessante do que o outro que imaginava ter adquirido. Não sei como tive essa “habilidade” de trocar os títulos, ou melhor, até sei, tem horas que sou atabalhoada como poucos e como poucos consigo realizar tais peripécias. Mas posso assegurar que sinceramente enganada errei mas contabilizei um acerto nesse erro sincero, pois literalmente o livro que a mim chegou saiu melhor do que a encomenda.



O exemplo é singelo [acharam que eu ia fazer uma mega-confissão aqui, hein???!!!!!]  e nos remete a algo aparentemente insignificante, mas me fez parar e pensar nos erros que as vezes cometemos e que por vezes se tornam geradores de fatos marcantes em nossa jornada.

Rubem Alves uma vez disse que não seria o que se tornou se todos os seus planos tivessem dado certo. Adaptando seu pensamento, entendo que não seríamos quem somos hoje se tivéssemos acertado sempre; se tudo tivesse acontecido corretamente de acordo com nossos planos.

São nos imprevistos e nos erros que muitas vezes somos conduzidos a pontos que se tornarão vitais para a definição ou redefinição de importantes aspectos de nossa vida.



Lembro-me da história do jovem José relatada no Antigo Testamento. O erro dos irmãos ao vende-lo como escravo para uma caravana, acabou por leva-lo ao Egito e lá, depois de vários revezes, o mesmo se tornou um homem poderoso, tornando-se, inclusive, instrumento de ajuda para a vida dos próprios irmãos e outrora algozes.



Ao olhar um pouco atrás em minha jornada percebo a graça do PAI transformando pedras em degraus, tropeços em avanços e erros em acertos.



Sim, a contabilidade celestial é diferente da nossa. Muitas vezes ansiamos por performances impecáveis, condutas irrepreensíveis e esquecemos que estamos limitados por uma humanidade que muitas e não raras vezes nos faz ERRAR. E o que fazer? Desesperar-se? Tentar camuflar o erro? Seriam essas as soluções?



Creio que sejam erros ou acertos tudo deve ser entregue a Ele, que assim nos instruiu:

“E sabemos que tudo quanto nos acontece está operando para o nosso próprio bem, se amarmos a Deus e estivermos nos ajustando aos planos DELE”

Rm 8:28 - Versão Bíblia Viva



Não pretendo fazer apologia ao erro, ao pecado ou coisa parecida, mas creio que precisamos ter em mente que o PAI nos aceita não por causa de nossa conduta mas APESAR de nossa conduta...APESAR de nossos erros e acertos. O que nos faz aceitos não é uma contabilidade positiva [mais acertos] e sim a graça que Dele emanam e que nos faz aceitos e amados não como simples servos mas como amigos e filhos.



Lembro-me também do versículo que diz: Onde abundou o pecado superabundou a graça [Rm 5:20]. Na matemática divina é possível transformar escassez em abundância, maldição em benção, dor em cura e pecado em perdão.



É mais do que podemos simplesmente raciocinar ou descrever, é algo que sinceramente temos que VIVER.


Por isso não temamos o erro, não nos ensoberbeçamos pelos acertos. Vivamos simplesmente como SERES HUMANOS dependentes Dele em todas as coisas.


Aprendendo com os erros e também com os acertos,


Roberta Lima

Reações:

8 comentários:

  1. Maninha linda!!!
    Ahhh que maravilha eu ter xeretado nossa lista no Twitter e ter visto que vc escreveu no blog, viu?!
    Mas que post mais edificante! =]
    Vejo em tudo isso os inúmeros benefícios da "contabilidade" divina: o fato dele nos amar APESAR de quem somos ou do que fazemos, faz TODA a diferença!
    Muitas vezes, somos cobrados em alto preço pelas consequências de nossos erros, mas é um consolo saber que Deus pode (e geralmente o faz) pegar tudo isso e transformar em nosso benefício.

    Ah, e a minha vida seria péssima se tudo o que eu planejei há mais ou menos uns 15 anos atrás tivesse se realizado. Mas só sei disso agora!
    ;)

    Mil beijos no coração e mto amor e graça do Paizão em sua vida!

    SSF!
    =]

    ResponderExcluir
  2. Oi Roberta!
    Gostei muito do texto, muito mesmo!!!
    Vou contar um testemunho de um erro que se tornou acerto no meu blog, daí venho aqui te avisar pra você ler ok. Esse testemunho ouvi hoje pela manhã e vou publicar, pois Deus faz cada coisa tremenda!!!
    Beijos querida e um ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
  3. Déia,

    Minha amiga corinthiana [olha eu usando essas 2 palavras: amiga e corinthiana...rs]
    Minha vida tb seria péssima se tudo que planejei tivesse dado CERTO e se o Pai tivesse dito sim a todos os meus pedidos...passado um tempo é que notamos isso não é mesmo?
    E viva para sempre a contabilidade divina que opera milagres!!!
    Bjs nesse coração precioso!

    Roberta

    ResponderExcluir
  4. Querida Cida,

    Eu te aviso de algo: se você vier sempre por aqui vou me apegar, viu???
    Muito feliz pelo texto ter edificado a tua vida e agora curiosa pelo testemunho que você irá postar...aguardando você me avisar!

    Bjs e ótimo fds!!!

    Roberta

    ResponderExcluir
  5. Ahhh Roberta, então vais se apegar, porque eu costumo mesmo visitar os amigos que faço...rsrs.

    Pode deixar que eu te aviso do testemunho. Quero ver se peço pra própria pessoa escrever e me repassar, pra ficar mais original, digamos. Mas se ele não tiver tempo, eu mesmo vou contar do meu jeito.
    Beijinhos querida.

    ResponderExcluir
  6. Olá Roberta,
    Paz amada!!!

    Sempre muito bom ler o que escreve.
    Que Deus possa edificar a muitos através da sua vida.

    Deus te use mais e mais.

    beijos
    Suely

    ResponderExcluir
  7. Belas analogias e graciosa forma de abordar o tema.
    "Na matemática divina é possível transformar escassez em abundância, maldição em benção, dor em cura e pecado em perdão." (Sublime colocação)

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Oi Menina querida!
    Nossa Roberta, a perda do seu pai ainda é mais recente.
    Mas o Senhor nos consola, amém por isso.

    Eu já postei alguns textos e nada ainda daquele testemunho que comentei com vc...rsrs..mas o pastor ficou dele escrever e me enviar por e-mail, não deve ter tido tempo ainda.

    Querida, um super beijo, és um doce. Fique na paz!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.