quinta-feira, setembro 23, 2010

A marginalidade de Jesus



Muito se fala da santidade, genialidade, amor, carisma, milagres, liderança, ensino e diversas facetas que expressam a pessoa de Cristo, mas sinceramente pouco ouço falar da marginalidade de Jesus.



Parece até conflitante falar de Jesus e associarmos a palavra marginal ao mesmo, mas não há nenhuma conotação ofensiva nisto, pois se bem analisarmos os fatos: Jesus foi um marginal de sua época.



Antes de você me chamar de herege ou me xingar, acompanhe o raciocínio...



Jesus era um homem simples, de uma profissão simples [até ouso fazer o paralelo com um operário padrão de nossos tempos], morava na Galiléia, considerada uma cidade que não produzia expoentes divinos [João 7:52] e pertencia a um povo subjugado pelo Império Romano, sendo que sua nação estava bem distante do pulsante coração econômico da época.



Creio que esses fatores, por si mesmos, já colocariam Jesus à margem do mundo de sua época, mas o mesmo foi além e também se colocou à margem da religião de sua época...Parece até mesmo um contra-senso mas o filho de Deus era marginalizado pela religião.



Prova mais do que cabal de que religião e Deus realmente não devem se misturar, eu sei, é um paradoxo daqueles difíceis de serem digeridos por nossas mentes muitas vezes totalmente formatadas pela tradição religiosa.



Mas voltemos à marginalidade de Jesus...me salta aos olhos o seguinte trecho do evangelho de Lucas:



“Muitas vezes vinham cobradores de impostos (gente desonesta) e outras pessoas de má fama para ouvir os sermões de Jesus; com isso começaram diversas queixas dos líderes religiosos e dos estudiosos da lei judaica, porque Ele estava fazendo amizade com aquela gente baixa – e até comendo com eles.”
Lc 15: 1-2 [Biblia Viva]



Aos olhos dos religiosos da época era inadmissível a relação de Jesus com a “ralé” da sociedade, ter amizade e comer com pessoas desonestas, baixas e de má fama era algo surreal para as mentes farisaícas e legalistas de plantão.



Há outros trechos na bíblia que falam que o mesmo foi chamado de glutão, beberrão, amigo de pecadores [Lucas 7:34], enfim, meu querido Jesus não era portador de boa fama, escolheu frequentar a margem da sociedade, escolheu o caminho longe do academicismo, longe do clericalismo, longe dos holofotes, longe das classes abastadas na maior parte do tempo.



É tão interessante mas o filho de Deus, o Messias prometido, não veio travestido de vestes religiosas, comportamento tradicional ou amizades seletas. Algo que nossa mente engessada pela religiosidade muitas vezes não consegue vislumbrar, mas que é plenamente explicada pelas palavras de Paulo quando o mesmo diz aos coríntios que Deus escolheu as coisas loucas desse mundo para confundir as sábias, Deus escolheu as coisas fracas desse mundo para confundir as fortes e Deus escolheu as coisas vis, desprezíveis e as que NÃO SÃO para confundir aquelas que são...quer algo mais marginal do que essa passagem das escrituras? [1 Coríntios 1:27-28]



Ao pensar em tudo isso e olhar para a igreja, me pergunto: que caminhos temos trilhado? Onde está a marginalidade do povo que se auto-intitula como de Deus?



O mais comum é ouvir sermões que mais parecem discursos de auto-ajuda e que prezam pela formatação com o sistema de valores reinante, no qual o TER vem sempre antes do SER.



O mínimo que consigo concluir após tudo isso é: revisemos a rota, os rumos...busquemos a margem! Não nos importemos com nossas posições, qualificações e até mesmo convicções pessoais, mas busquemos aquilo que o Mestre buscava: os pequeninos, os esquecidos e marginalizados para que também possamos ouvir Dele naquele dia: tive fome e me deste de comer, estava preso e foste ver-me, estava nu e me vestiste, estive com sede e me deste de beber [Mateus 25:35-36].

Frisando que nem sempre a sede será de água, a fome de pão, a nudez de roupas e a prisão de algemas...eis um desafio!





Marginalmente em Cristo,
Reações:

14 comentários:

  1. Linda reflexão amiga ...

    Somos marginais é fato.


    ;)

    ResponderExcluir
  2. Mana,

    Texto incrivel!
    Deus continue a te fazer crescer na compreensãao da VERDADE!
    ;)

    Jesus se misturava, incluia, somente amava!
    Simples assim!

    Te amoooooooW
    Meu espírito adorou ao Pai enquanto li esse post!
    Abraço de alma, mana!

    n'Ele, que caminhava junto aos que estavam à margem, e AFIRMAVA que os marginais precedem os religiosos no Reino!



    o/


    [Alegria no mais íntimo de mim! rs ;)]



    Carla

    ResponderExcluir
  3. Mto bom amiga! Ameiii!

    Adora as coisas que vc escreve!

    Saudades de vc por perto.

    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Olá Roberta!
    Realmente, Jesus era simples, puro e sempre procurou estar com os que eram excluídos e marginalizados. Ele era marginalizado e entendia o sofrimento do povo.
    Que possamos olhar pra Jesus e nos espelhar nEle a cada dia.
    Um beijo querida e fica na paz.

    ResponderExcluir
  5. Desafio difícil hein menina "pimenta" do reino? (agora já era, o apelido pegou!)
    Muitas vezes não queremos deixar nossos púlpitos, nossos grupos de louvor, nossos uniformes de coral e ir buscar aqueles que estão perdidos.
    Se entra um bêbado ou um doente mental na igreja a maioria tem medo, outros olham com reprovação, e se alguém se atreve a orar, é para que Deus tire aquela pessoa dali...
    Será que Jesus agiria assim?

    ResponderExcluir
  6. Pois é Angela...creio que sabemos a resposta de Jesus, difícil é termos a atitude dele, isso é fato, mas podemos tentar...
    Estou devendo visita no teu blog...ando muito corrida!
    E quanto ao apelido, toda vez que leio brota um sorriso nos lábios, até apelido ganhei na blogosfera...rs
    Bjs querida, sempre bom ter você aqui...

    Roberta

    ResponderExcluir
  7. Bom, visto que meu primeiro comentário sobre o post não chegou aqui para você, eis-me aqui exercitando o "sou brasileira pô, não desisto nunca"!!! hahaha

    Mana querida, eu adoro "ler-te"!!!
    Você, constantemente, tem falado e gritado por mim, já disse antes que não está só!!! hehe

    Quanto à marginalidade de Jesus: que alívio refletir sobre isso! Pensei um bocado após ler e percebi que essa face de Cristo é algo que me encanta, me anima, porque é no meio desse povo que eu estaria nos dias dele. Ao contrário do que muitos possam pensar, e até mesma eu já pensei, não estaria ao lado dos intelectualizados, mestres e religiosos, e se estivesse, seria das que abandonaria tudo em busca do Mestre da Vida! Mas eu acredito que estaria como os trabalhadores cansados, suplicando por liberdade da opressão social...

    Que sejamos assim, que Ele nos mantenha assim: do tipo dos que se misturam!!!

    Sou do tipo que se mistura, porque afinal serviria o sal se permanecesse apenas dentro do saleiro né?!

    Beijos e continue. Fale por mim, fale por nós!

    =]

    ResponderExcluir
  8. O problema é que não entendemos o significado de Marcos 2:22: "Ninguém põe vinho novo em odres velhos; do contrário, o vinho romperá os odres; e tanto se perde o vinho como os odres. Mas põe-se vinho novo em odres novos". Excelente seu texto.

    ResponderExcluir
  9. Oi querida!
    Já deixei o meu comentário sobre o post, hoje volto pra deixar um beijo. Fica na paz do Senhor!

    ResponderExcluir
  10. Não vejo Jesus como marginal, talvez devido o fato do significado da palavra, segundo "tio Aurélio" - indivíduo que se põe fora das leis, que vive à margem da sociedade; indigente, vadio, delinqüente. Jesus não tinha essas características.
    Entretanto, creio em um Jesus que foi DE encontro aos valores e costumes da sociedade na época, ou seja, contracultura.

    ResponderExcluir
  11. Olá Janise,

    O "tio Aurélio" que você menciona é o dicionário "DO" Aurélio on line, o qual inclusive tem o seguinte significado para a palavra marginal, além da que você já mencionou.

    Vejamos:

    adj. Relativo a margem: as terras marginais. // Nota marginal, o que se escreve na margem da folha de um livro ou de qualquer documento escrito. / &151; S.m. Indivíduo que se põe fora das leis, que vive à margem da sociedade; indigente, vadio, delinqüente.

    Podemos observar que a palavra marginal pode ser aplicada como um adjetivo ou como um substantivo.
    No post em questão, a palavra funciona como adjetivo, conforme foi esclarecido no começo do texto, quando mencionei alguns dos atributos mais corriqueiramente associados à pessoa de Cristo.
    Mas, ainda que o mesmo seja utilizado como substantivo, um dos significados dado pelo dicionário, também é compatível ao contexto do post, pois é notório que Jesus viveu à margem da sociedade...
    Mas talvez a palavra contracultura seja realmente menos chocante e mais clara para o entendimento de todos...
    Fica a sua dica aqui anotadinha!
    Obrigada por visitar, seguir, comentar e contribuir!!
    Abraços,
    Roberta

    ResponderExcluir
  12. Roberta, obrigada pelo carinho da sua atenção e seu puxãozinho de orelha e beijinho no final rsrsrs...
    Ás vezes é tão difícil a gente ter um olhar de uma posição diferente da qual a gente foi acostumada, falo de mim, esse é meu defeito horrível, teimosia(estou trabalhando arduamente nessa área!).
    Espero que não tenha achado que eu sido áspera com você em minhas palavras, pois já cativou meu coração pela sua visão, inteligência e coração, com o qual se revela em todo seu blog.
    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Janise,

    Que bom que vc me deu um feedback, não sabia se vc voltaria aqui...rs.
    Não se preocupe com impressões não, gostei do seu comentário e da transparência em expo-lo, talvez outros tenham pensado a mesma coisa e não falaram nada.
    Quanto à teimosia...bem...eu tb tenho as minhas e preciso trabalhar ARDUAMENTE nisso tb...rs
    Mais uma vez obrigada por estar aqui e contribuir!

    Bjim

    Roberta

    PS! Vc não tem blog, né? Eu procurei para seguir e não encontrei...

    ResponderExcluir
  14. Oi linda!
    Tenho blog sim, tá ali do lado da minha fotinha rsrs... é http://janisecomousemcrise.blogspot.com/
    Mas não é um BLOG assim como o seu, mas tem muita "coisinha" lá, quem sabe você me honra com uma visita sua?!
    Beijoo

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.