sábado, novembro 13, 2010

Sozinha, mas não solitária





Estar solteira não é algo que geralmente agrada nenhuma jovem mulher adulta. Por uma série de questões culturais, somos cobradas e pressionadas a namorar, noivar e casar. E por experiência própria eu sei que no meio cristão as cobranças são ainda maiores. Você é constantemente lembrada de orar a Deus pedindo pelo seu "Isaque". E há um método comum para facilitar o processo: uma lista específica de como seu Isaque precisa ser e isso serve de base para a sua fé. Então o restante é orar e confiar em Deus. 

Não vou dizer aqui se isso tudo é certo ou errado, só quero mesmo é compartilhar algo importante: há uma multidão de moças e mulheres experimentando a solidão, mesmo dentro das comunidades de fé. E raramente a liderança da Igreja enxerga isso. Dificilmente o assunto é tratado, salvo algum curso específico, ou eventos para jovens.

Mas eu acredito que é possível estar solteira, sem sofrer com a solidão. A minha experiência me diz isso. A única solidão que  me é comum é aquela que me incentiva a buscar a Deus, a orar, a ter um tempo a sós com ele, aquela em que sinto saudades de sua presença.

Estou solteira, mas não experimento solidão. Aprendi já há muito tempo que esse tipo de solidão dói e machuca as emoções e que o melhor investimento que poderia fazer diz respeito ao meu relacionamento com Deus e com as outras pessoas. Foi o que fiz: vivo com ele e, como brinco, ando "em bando".

Li uma reflexão edificante na minha Bíblia esses dias e vou compartilhar aqui para que todas as solteiras (e os solteiros também), possam ser encorajados a investirem no relacionamento com Deus, pois somente ele pode ajudar-nos quando sentimentos de solidão abaterem-se sobre nós.




Sozinha, mas não solitária

A solidão, que geralmente significa falta de companhia e de camaradagem, faz parte da vida em geral e não apenas da vida dos solteiros. A solidão pode estar associada a missões especiais, a momentos de decisão, a privação, a traição, a separação da comunidade da fé e a infortúnios. 

A mulher solteira cheia de fé reage à solidão canalizando sua devoção para Jesus e aconchegando-se à comunidade de fé em busca de apoio e de sabedoria. Os discípulos desanimados a caminho de Emaús sentiram seus corações “arderem” quando o Senhor lhes revelou o significado das Escrituras (Lc 24:32). Eles se sentiram consolados e alegres ao experimentar a comunhão de Jesus. A mulher solteira pode passar por essa mesma experiência quando mergulha na Palavra de Deus e ora sempre que se sentir abatida pela solidão.

Você pode estar sozinha, privada da companhia de pessoas, mas não precisa ficar sem Deus, que é a companhia constante e o guia sempre presente de todo o que crê.

O mais importante propósito de Deus para o seu povo é o relacionamento com ele e de uns para com os outros (1 Jo 1:3,7). À parte dessa comunhão, só existe solidão e isolamento.


Fonte: Bíblia da Mulher, Ed. Mundo Cristão, páginas 723 e 834





“E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e à prática das boas obras”.

(Hebreus 10:24)



Solteira, com Ele e nunca solitária.
=]

Andréa Cerqueira
Reações:

2 comentários:

  1. até isto recebo como uma dádiva de Deus... estar solteira e não experimentar a solidão... vai de cada um, vai do relacionamento que cada um desenvolve com Deus... é totalmente possível!
    abraço em tds!

    ResponderExcluir
  2. Esse texto fala muito sobre o momento que estou agora. Também estou solteira mas após todo esse tempo (3 anos!) consigo enxergar que isso foi algo bom para mim. Espero que mais mulheres entendam que não ter um companheiro não precisa ser algo sofrido.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.