quinta-feira, novembro 04, 2010

Vestir-se de mulher as vezes é preciso.



 Eu sou apenas uma menina. Digo uma, duas, três vezes, mas ninguém parece me ouvir , ninguém parece se importar, não aqui nesse lugar caído da graça, nesse lugar destituído do amor. 

O mundo não para de girar por mim, nem por você.

Mas eu faço parte de um reino, e nesse reino eu sou apenas uma menina, que adora correr entre os jardins, brincar com os animais, olhar o lago, sentir o vento nos cabelos, sonhar com o futuro sem pressa, sem cobranças, sem medo, sem terrorismo, apenas sonhar e  ouvir o Rei, meu pai querido, dizer o quanto sou preciosa, o quanto Ele me ama, o quanto eu sou importante para Ele, tudo o que Ele planejou para mim. Ah, eu amo ser apenas uma menina do reino !

Mas infelizmente não posso ser apenas uma menina o tempo inteiro, não aqui. Não gosto, mas tenho que me vestir de mulher e algumas situações por aqui  exigem ter que vestir-me de mulher, para que eu possa zelar pela menina que eu sou no reino, somente assim eu me permito ser acordada desse belo sonho...

O reino de Deus ainda não está estabelecido aqui, ele ainda não pode ser desfrutado em sua totalidade pelo menos por enquanto, infelizmente aqui nem todos querem o Reino de Deus, e sim um reino particular e algumas regalias e honras como a coroa de rei.

Lembro-me do que Jesus disse, e guardo sempre comigo :
"Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas." Mateus 10-16
Algumas vezes nos custa muito caro confiar nas pessoas erradas, um lobo então não deixa por menos, o prazer dele é abusar da inocência e fragilidade da ovelha. Ovelhas no meio de lobos foi a expressão de Jesus, eu acho que já vi lobos pelo caminho, alguns eu trombei, outros eu caminhei junto por um tempo achando serem ovelhas, mas o melhor de tudo é saber que Ele nos enviou no meio deles, não é algo que poderíamos evitar, muitas vezes pensamos, porque? A pergunta certa não seria talvez "porque" mas para que? Para que fossemos treinadas, para que tivéssemos a oportunidade de reagir da forma certa. Ou não, simplesmente como aprendizado, experiência.  Porque aqui, não podemos ser meninas o tempo todo, porque aqui, devemos nos vestir de mulher porque é preciso, mas sem perder a sensibilidade e o brilho nos olhos da menina que somos no reino eterno do nosso Deus.

Confesso que sinto saudades de casa, confesso que às vezes não tenho mais lágrimas, confesso que às vezes queria ser apenas uma menina sem me preocupar com nada... mas por enquanto não. Não posso me enganar. Não podemos nos enganar. Ainda existem ameaças eminentes rondando o nosso aprisco, e tentando nos tirar bruscamente os sonhos, a paz, a fé, e a certeza de que o nosso Rei está assentado no trono, nos olhando e acompanhando nossa volta para casa.  
"Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele." Mateus 11-12
Mas eu continuo sendo apenas uma menina, me visto de mulher apenas quando é preciso. Mas apenas quando é preciso. 
Roupa de mulher coração de menina, e esperança de uma guerreira é o que carrego comigo.


Vamos  lutar meninas-mulheres guerreiras do reino, a luta ainda não acabou. 

Simone Caetano
Reações:

8 comentários:

  1. De uma sensibilidade com palavras e ternura com a questão da reflexão que me encantou esse teu texto maninha!

    Pois, vestiremo-nos de mulher para caminhar para o Reino do nosso Deus, sem, contudo, perder o brilho de menina nos olhos!

    =]

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Owh *--* que fofo seu comentário maninha linda ...

    Vamos lutar sim sempre ;)

    ResponderExcluir
  3. Si linda,

    Eu já falei mas vou repetir...achei esse texto um primor, uma pérola, um encanto de tão doce...creio que se nos pedissem um tratado ou algo parecido, seu texto serviria de modelo: Somos meninas que se vestem de mulher apenas quando é preciso. (como amo isso...rs).

    Que Deus continue nos abençoando e inspirando a falarmos uma pelas outras...a falarmos das coisas de nosso PAI querido...

    "Vamos lutar meninas-mulheres guerreiras do reino, a luta ainda não acabou. "

    Sim...prossigamos na luta!

    Te amo minha amiga-mana mineira

    Kisses

    =)

    ResponderExcluir
  4. Amigas ... sabe qual minha maior alegria ao escrever? é mostrar para vocês ...

    Minhas queridas manas-amigas lindas que amo muito, meu coração fica tão feliz em poder compartilhar com vcs dos meus pensamentos...
    Beta sua-linda !!!

    Obrigada sempre... por tudo, sua amizade tem se tornado cada dia mais imprescindível para mim ,

    Déia ... Putz meu (bem paulista) sem comentários para ti ... eu amo tanto meu coração não aguenta

    Carlinha ... Amo muitoooooo, sinto falta da minha Barbie-Hippie comentando por aqui...

    MENINAS DO REINO EU AMO VCS! #CMA

    ResponderExcluir
  5. Lindo, lindo...meninas mulheres do reino!
    falou muito ao meu coraçãozinho de menina-mulher

    Amo vc!

    ResponderExcluir
  6. E quer saber?
    Eu nunca fui daquelas meninas fortes.
    Eu me apaixonei mesmo, eu caí mesmo, eu chorei mesmo, eu comi sorvete a madrugada inteira mesmo, eu fiz planos mesmo, eu fui burra mesmo.

    E por mais idiota que possa ser, eu sei que eu aprendi muito, eu cresci muito.

    Mas eu continuo me apaixonando mesmo, chorando mesmo, comendo sorvete a madrugada inteira mesmo, fazendo planos mesmo, sendo burra mesmo.

    Si, parabéns pelo texto.
    Meninas do Reino, parabéns pelo blog.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Sabee gostei muito do seu texto. =)
    Nos deparamos com situações nas quais precisamos ser valentes, prudentes e fortes. Mas lá dentro, ainda somos ovelhas, meninas que anseiam pelo dia no qual poderemos descançar e desfrutar do reino dos céus tal como Deus o fez para nós.
    Parabéns pelo blog,


    Juuh

    ResponderExcluir
  8. Me emocionei lendo esse texto!
    Q Deus abençoe!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.