sexta-feira, janeiro 31, 2014

Aprendiz de mim #13: a questão das sementes



Viver é também aprender. Apreender. Ensinar. Trocar. Deixar por vezes a banda passar, a música tocar, seguir o fluxo, olhar os ventos, deixar livres os pensamentos. Todavia, há horas em que  alguns aprendizados merecem ser registrados. Algumas experiências da existência merecem ser anotadas para que o correr da vida que há tudo leva de roldão, não nos deixe esquecer o que é preciso lembrar e por que não, relembrar?

Parei a pensar sobre as sementes há algum tempo. Os caminhos que me levam até elas são dos mais variados.

Posso dizer que 2013 me ensinou que não saímos pelo caminho sem sementes. Ensinou-me ainda que as mesmas são aradas em terra seca e que a chuva necessária na estação devida vem em um tempo que não pertence a mim.

Aprendi ainda a importância de semear e saber esperar. Esperar a terra pronta, as águas virem, a semente brotar.

Aprendi sobre a qualidade das sementes.

Aprendi que algumas crescem  rápido e que produzem belezas fugazes. Outras parecem que não vão irromper a terra escura, sufocante e quando se levantam frágeis sobre a superfície da terra, necessitam de cuidados especiais, pois se arrancadas assim com raízes pequenas são facilmente alvos de destruição.

Aprendi que semente também floresce e que algumas voam e se fecundarão em lugares inimagináveis.
Apendi que muitas vezes caminhamos como disse o salmista, levando a preciosa semente, andando e chorando e temos que carregar em nosso coração a fé que diz que voltaremos com alegria, trazendo os feixes da colheita em nossas mãos.

Aprendi que pragas podem vir para destruir nossa lavoura e que por vezes perderemos tudo ou quase tudo, menos a força para continuar a semear.

Aprendi que há sementes falsificadas, cujas cópias são quase idênticas à verdadeira, mas cuja essência pode ser mortal.

Aprendi que não colhi ainda tudo que plantei. Que algumas coisas talvez jamais colherei. Que por outras ainda algum tempo esperarei .

Aprendi por fim que todos os dias é preciso levantar, tomar um punhado de sementes de sonhos e sair pela estrada a caminhar. E que algumas sementes se plantam com risos e outras se adubam com lágrimas.Mas que o importante mesmo é semear.

Aprendendo sobre sementes, terras e colheitas,


Roberta Lima
Reações:

2 comentários:

  1. Lindo texto. Vale a pena conferir.

    ResponderExcluir
  2. Mana você é a eterna menina de sapatos altos, ou seja, aquela menininha que estampava o banner do blog!
    Cheia de encantos, sonhos, fantasias, porém calçada por saltos de adulto, que te levam a enxergar mais alto que todos, entender as vivências com olhar serenamente maduro e consciente da existência!
    Amo voltar a ler seus aprendizes, eles falam por nós!!!
    Beijos Anjinha de alma esparta-narniana

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.