terça-feira, setembro 09, 2014

O amor pode nos machucar

Imagem: Tumblr

Sou movida por música. Frequentemente sou aquele tipo de pessoa que ouve a mesma canção uma centena de vezes, até absorvê-la. Aconteceu hoje.

Ouvi uma canção que, traduzida, dizia: “Amar pode machucar, amar pode machucar às vezes, mas é a única coisa que conheço”. E qualquer que seja o nível de amor que usemos como exemplo, é verdade, amar pode machucar. Acertando e errando, já aprendi que o amor humano é imperfeito.  Creio que somente o amor divino expresso na cruz de Cristo é capaz de nos completar, pois todos os demais amores, familiares, fraternos e românticos, podem nos machucar. E pior ainda, é que podemos machucá-los também. Já estive dos dois lados da moeda em todos esses níveis de relacionamentos, errei e erraram comigo. O fato é que estamos sujeitos a decepções e, por ironia, elas costumam ser uma generosa escola de aprendizado.

Acredito que a grande questão não está em machucar ou ser machucado, mas em nunca mudar o status de uma ou outra condição. É preciso que haja mudança de atitude. Não raramente, encontro pessoas com origem, cultura, oportunidades e experiências distintas na vida, mas que têm em comum o alimentar “eternamente” seus corações partidos. São incapazes de abandonar a decepção e seguir adiante. Contudo, não desdenho a dificuldade de recuperação de um amor desfeito, mas creio em sua possibilidade. O mal está em apegar-se a um amor como se a própria dor fosse capaz de fazê-lo renascer, puro e forte, no coração do outro outra vez. É o tipo de sentimento que adoece a alma. Há quem nunca mais volte a experimentar o amor.

Ouvi ainda na canção: “Amar pode curar, amar pode consertar a sua alma, e ele é a única coisa que eu conheço”. Se o amor pode nos machucar, é verdade que ele mesmo pode nos curar. Amar pode ser veneno e, igualmente, pode ser antídoto. Não importa que tipo de amor foi partido, a decepção pode ter sido causada por seus pais, filhos, algum amigo ou ainda,  por seu  par romântico. Para quem partiu seu coração, é preciso oferecer-lhe perdão, porque é importante que haja em você humildade o bastante para perdoar e se recuperar. Por outro lado, você pode ter causado essa dor, de modo que é imprescindível que haja em você humildade o suficiente para se desculpar com sinceridade, aprender com seus erros e não arrastar-se pelo caminho restante se desmanchando em culpa. Algumas vezes é necessário perdoar-se antes de prosseguir. Por fim, não dá para garantir que jamais seremos os algozes de um amor ou vítimas dele e, ainda assim, é preciso arriscar.

-----------
ao som de “Photograph” – Ed Sheeran
#2 Andréa Cerqueira - (@acspira)



Reações:

3 comentários:

  1. Texto lindo!
    Verdade, Deh! É preciso arriscar!
    Acredito no Amor!

    ResponderExcluir
  2. Também acredito no amor, no perdão...
    Penso que ambos estão interligados, entrelaçados, amalgamados, como se não fosse posse possível amar por inteiro, sem que de todo coração tenhamos nos arrependido ou perdoado quem, de alguma forma, nos ofendeu

    Linda reflexão!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.