quarta-feira, fevereiro 02, 2011

Diário de uma lagarta: a carta.





Queria te dar outras notícias, porém por aqui tudo continua do mesmo jeito desde que você se foi, pensando bem, do mesmo jeito não, acho que as coisas estão muito piores.

O dinheiro continua motivando tudo, só que agora a roda que ele faz girar está ainda maior, a vaidade ainda anda despertando os melhores olhares das pessoas, a essência está esquecida, se esquecem dela por não ser mais tão necessária, hoje ela permanece adormecida dentro de muitos, na verdade, alguns nem sabem qual é sua essência, não sabem e não querem saber. Por ser necessário apenas o que é visível, a quantidade é sempre mais importante do que a qualidade e quando se diz por aqui que se tem  “qualidade” é daquele tipo ouro de tolo, brilha aos olhos de todos mas no fundo não tem valor real.

Os pobres estão cada vez mais pobres e os ricos cada vez mais ricos, os limpos cada vez mais limpos e os sujos cada vez mais sujos.
O amor, sim como você disse que ia acontecer, aconteceu. Se esfriou, muito. Ainda bem que os dias estão passando depressa, ainda bem, porque do contrário acho que seria ainda mais insuportável esperar você. Parece que estou sem lugar, não consigo me ver fazendo parte do mecanismo que tem feito a roda girar e tão pouco acho que conseguiria fazer parte de um mecanismo paralelo para fazer com que ela pare de girar da forma como tem girado. Mas, mesmo assim continuo aqui dentro do casulo, às vezes quero sair logo para tentar voar alto, mas sei que ainda não está na hora, estou aqui, esperando cada fase dessa longa e perpétua metamorfose, mas continuo vendo tudo ao meu redor. Já senti muita dor aqui dentro, de rejeição a solidão, de tristeza a depressão, agora a dor já criou uma espécie de anestesia, não dói mais, estou com os olhos estatelados, bem abertos, cada coisa que tem me acontecido, cada troca de pele, cada cor nova eu sei , apesar de não sentir tanto, como no início.
Teve um momento que fiquei muito apavorada, ficou tudo muito escuro aqui dentro do casulo, mas lembrei que fazia parte do processo de metamorfose, tentei trazer à memória o que me daria naquele momento esperança, mas foi difícil, muito difícil, porque comecei a pensar demais, e você sabe, no pensar há enfado, é o cansaço sem sair do lugar, dúvidas encheram meu ser, ainda as tenho aqui, mas a principal delas eu já consegui resposta.  E por isso estou mandando para você esta carta. Para dizer que mesmo que você não fale comigo diretamente mais, mesmo que você ainda não tenha me mostrado o que eu quero ver, eu continuo aqui te esperando. Não vou pedir para ninguém esquentar o casulo para acelerar o processo e nem vou permitir que façam isso, já não sinto tanto, mas minha consciência está mais apurada que meus sentidos. Não importa o que sinto, algumas coisas eu já sei, às que eu não sei não importa.


E das coisas que eu sei, a que me traz até aqui é que no final de tudo isso, eu sei que vai valer à pena esperar.


Em amor.

A Lagarta

Si Caetano.
Reações:

5 comentários:

  1. Tenho uma sugestão de musica para esse texto:

    http://www.youtube.com/watch?v=dYbk90_K9ko

    excelente texto....

    bjosss

    ResponderExcluir
  2. Genial a música ! Obrigada pela dica WalCroft...

    =D

    ResponderExcluir
  3. "Não importa o que sinto, algumas coisas eu já sei, às que eu não sei não importa." Que lindo Si, as vezes me pego perguntando a mim até quando, e por não ter resposta, fico em silêncio crendo que diante de tudo, estamos Nele, pois nada há fora Dele, muitas vezes me vejo melâncólico e lembro de Paulo dizendo, Se esperamos Nele somente nessa vida, que miseráveis somos, todavia diante de todas essas coisas permanece o Amor Dele e em nós paira a esperança. Abração Si.

    ResponderExcluir
  4. Acho que esse "sentimento" que temos diante da espera seja ela qual for é comum a todos nós que andamos n'ele . Sabemos que nada aqui nos satisfaz a não ser ele mesmo e por isso mesmo que nosso corpo terreno e falível queira pular fora, nosso "eu" não consegue, é o amor que nos mantém prisioneiros em liberdade. =D

    ResponderExcluir
  5. "Não importa o que sinto, algumas coisas eu já sei, às que eu não sei não importa.
    E das coisas que eu sei, a que me traz até aqui é que no final de tudo isso, eu sei que vai valer à pena esperar."

    Que coisa linda mana...este post falou tanto ao meu coração!

    Te amo lagarta, garça, seja que bicho for...rs

    Bjim

    =)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.