terça-feira, maio 01, 2012

Eu tenho um chamado? (Parte I)


Nota: Gostaria que este texto fosse lido como uma carta de alguém que tem algumas experiências, mas que ainda possui dúvidas e não respostas. Como esse assunto é extenso pretendo escrever ele em três partes (e se surgirem dúvidas no decorrer da conversa, podemos até prolonga-la).
Vamos lá, então!
 ……………

 Não raro ouço as (mesmas) perguntas:

-Será que tenho um chamado?
-Como vou saber que tenho um dom?
-Tenho feito tantas coisas, mas como posso saber se o que estou fazendo é a vontade de Deus pra mim?

 Considero essas questões necessárias na vida cristã.
 E perigosas.

 Digo ‘perigosas’ porque muitas vezes são respondidas de forma superficial, com frases prontas e levam as pessoas a andarem em círculos e não desenvolverem absolutamente nada com os recursos que têm.

Pensei em escrever sobre a origem da palavra ‘ministério’ e todas as suas variações, colocar todos os textos bíblicos relacionados ao assunto e dizer que ‘servir’ é o propósito maior do cristão, mas como essa conversa é mais intima, vou conversar com vocês partindo do principio que já conhecem esses textos e que tem uma noção (mesmo que rasa) sobre o que é ministério e quais os dons Deus nos deixou para que pudéssemos levar o Reino de Deus com excelência.

Como essa será nossa primeira conversa sobre o assunto, pretendo ‘pegar leve’, ok? Como já disse, é muito comum as pessoas me perguntarem : ‘O que Deus quer que eu faça?’ , e minha resposta é quase sempre a incrível frase de Theodore Roosevelt:

‘Faça o que você pode, com o que você tem, no lugar onde você está!’ 

 E quase sempre vejo no olhar da pessoa um enorme ponto de interrogação.

 A verdade é que, para a maioria dessas pessoas, essa resposta soa ‘pouco espiritual‘.
As pessoas desejam que eu feche os olhos, faça uma oração longa e em voz (bem) alta e diga:

 ‘-Deus me mostrou você pregando (ou louvando) diante de uma multidão…’ . 

 Pois é, eu sempre decepciono!

 Vou dizer (de forma bem objetiva) o porquê digo essa frase, antes que você caia no pecado de me julgar (risos)!
 É o seguinte: Nosso chamado é levar o Reino de Deus onde vivemos, certo?
O Reino de Deus é justiça, paz e alegria no Espirito Santo (peraí que vou buscar onde está esse versículo!!! #GoogleMeAjude!).

 Achei!!!
 ‘Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo; aquele que assim serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens.‘ 
Romanos 14:17-18 

Nosso propósito é viver o Reino de Deus aqui na terra e levar esse Reino às pessoas que estão a nossa volta e nada melhor que usar os recursos que temos para isso.
 Vou dar alguns exemplos:

 -Você sabe escrever? Por que não escreve sobre Deus?
 -Gosta de arte? Por que não faz teatro em hospitais, locais carentes?
 -Conhece leis? Por que não auxilia pessoas que precisam de seus serviços?
 -Faz artesanato? Por que não ensina para pessoas carentes para que possam usar isso como fonte de sustento? 

 Não importa quantos talentos você tem, importa como você os usa.
 Pensar que os sonhos de Deus para sua vida se limitam aos ministérios dentro de uma igreja, diminui em, no minimo, 90% o seu potencial.

O grande segredo é buscar oportunidades de demonstrar o amor de Deus!

 Esteja atento ao que acontece e use seus talentos para demonstrar (se possível, de forma criativa) aquilo que Deus tem ensinado a você.

 Nosso chamado é trazer ordem ao caos, levar luz onde habita trevas.
 Outro dia, pensando sobre isso, escrevi:

 ‘O cristianismo ter que sair das quatro paredes e ir para as ruas, para os becos, para o mundo. É lá que precisa de luz.’ 

 Que tal aproveitar essa conversa e pedir a Deus direção de como usar seus talentos para levar o Reino Dele ao mundo?

 Continuamos essa conversa no próximo post, ok? :)

 Bjins, Lu (Poulain)
Reações:

6 comentários:

  1. Humm Deus falou comigo,mas e quando surge o medo Lu?
    As vezes queremos levar o Reino de Deus ao mundo,mas há algo que nos impede,o medo,temos medo de decepcionar a Deus,de não conseguir,de fracassar,isso é o grande problema,a grande barreira a ser derrubada.Sei que se não usar nossos dons para adorar,também estaremos decepcionando a Deus,e o que fazer?
    Bjs Lu,voltarei para ver sua resposta :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila!!!

      Acho sua pergunta merece um texto! Vou escrever sobre isso!
      Como te aviso quando ele for publicado?

      Excluir
  2. Sabe qual é o problema das religiões populares, é que nelas Deus depende da imaginação das pessoas - do que as pessoas pensam sobre Ele - para que algo possa dar certo. Mas não é imaginação no aspecto positivo do termo, e sim no aspecto negativo, da 'caixinha', Deus é uma 'caixinha' e tudo que não combina com a 'caixinha' - segundo a 'Bríbia' irmaus - não é Deus nem de Deus.
    Existem milhões de pessoas que se sentem confortáveis com a 'caixinha' não querem nada além dela, e para não acordar desse sono - tão gostoso - inventam 'n' termos como chamado, ministério, obra...etc. E submersos na 'caixinha' desperdiçam uma vida inteira lutando por essas coisas, sem se dar conta que no frigir dos ovos, estão lutando por afirmação, glória, recompensa, ou seja, pelo mesmo motivo que as pessoas sem Deus lutam, pelo ego. Por exemplo, quando se combate a religião dos outros, não há Jesus, nem Deus no meio, mas somente 'ego', quando se diz que deve-se levar Jesus ao mundo e tornar o mundo inteiro Cristão - como se na fé dos outros não existisse Plano de Deus, nem Amor, nem Misericórdia, nem Graça - também não é Jesus, nem Deus que estão em ação, mas tão somente o 'ego' humano. Nem Deus, nem Jesus disperdiçam tempo com questões tão pequenas como 'religião', 'conquistar o mundo', Eles nunca precisaram disso, isso é coisa para pastorzinho, padreco, missionárinhos e imaginação egoísta somada a 'Bríbia'. Jesus nem sequer veio fundar uma religião, basta pensar e estudar um pouco para perceber isso.
    Mas aqueles que tem o mínimo de senso de proporção, acabam descobrindo por si mesmos que Deus só pode ser algo muito além da imaginação de qualquer pessoa, reconhecem Deus também no assassino, no estuprador, na catástrofe, nas dores, até porque, sendo Ele onipotente, onisciente e onipresente, não existe acaso para quem acredita em Deus. E assim, despertam do sono, se relacionam com Deus de verdade, acabam tendo que deixar para trás as religiões e os iludidos, para caminhar em direção a Maestria na existência.
    Afinal, um dia alguém disse, "Nele vivemos, nos movemos e somos", assim a 'caixinha' e Ele não combinam, não há nada na nossa mente por mais lindo, belo, 'maravilhosamente estupefantemente' que seja, que possa simbolizar tudo que Ele é, porque, Ele sempre estará muito além da imaginação de qualquer pessoa, inclusive dos gênios humanos. Aqueles que conhecem Deus, não precisam de fantasmas, nem de fantasias. Nas grandes e pequenas coisas, no acerto e no erro, não há nada que se possa comparar a Ele, senão somente, amor extremo e absoluto por tudo que existe, inclusive pelas pedras e minerais. Porque tudo que existe está dentro dEle, existe nEle, é Ele, seja em manifestação física ou em desejo(plano). Por exemplo, as nuvens, as pedras as águas dos oceanos e as ondas da praia são Ele, porque, emergiram do desejo dEle e se tornaram um 'plano' (por surgirem do desejo, estão conectadas a Mente dEle até hoje, e assim, Ele as coordena) . Os seres já são a própria criação, acima do plano e do desejo, no nível da vontade mais profunda manifesta. Infelizmente, aqueles que procuram pelo 'nada' direta ou indiretamente, nas coisas ou nas pessoas, pouco ou nada sabem sobre Ele, e sobre oque Ele realmente É. Quem dera Da Vinci, Michelangelo e Botticelli pintarem uma Alvorada com tamanha realidade e perfeição como são? Ou uma aurora boreal? Mas quem criou Da Vinci, Michelangelo e Botticelli pode fazer isso a qualquer momento, todos os dias do ano se quiser. Essa é a grande diferença entre a 'caixinha' e Ele.
    Bjos menina linda e seu 'chamado'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que Deus nos ajude a mostrar Deus além da 'caixinha'!
      Obrigada pelo comentário!

      :)

      Excluir
    2. Deus está além da "caixinha", sim, mas esta "caixinha" tem o toque Dele, é uma revelação dada por Ele próprio aos homens sobre Si mesmo, não pode ser desprezada como muitos q dizem andar e se mover n'Ele o fazem. O próprio Jesus citava esta "caixinha" com frequência e dava total crédito a ela e aos caras que a escreveram. O problema tem na verdade 2 lados, uma notória má compreensão da "caixinha" (religião, no mau sentido da palavra) e também uma não-aceitação do que esta "caixinha" revela. Esta não-aceitação muitas vezes é defendida por gente que discursa viver o evangelho puro e simples, mas que na verdade a tal simplicidade que advogam não é bem o que a "caixinha" nos instrui como viver....

      Desprezar esta "caixinha" pode até parecer intelectualmente libertador, mas nos liberta pra criarmos uma ilusão, um deus segundo nosso próprio pensamento, nosso ego e nossa noção de razão. Por mais consciência que tenhamos de que há muito ainda por descobrir, o que já foi revelado na "caixinha" não é mentira e o que falta pra descobrirmos não será o oposto do que a "caixinha" revela. O que foi revelado é suficiente pra termos noção de quem Ele é.

      Pensar que porque tudo no mundo converge pra Ele e que é uma bobagem preocupar-se com o que Ele espera que façamos, também serve como desculpa pra cada um fazer só o que dá na cabeça, só o que gosta ou satisfaz. Funciona como uma desculpa esfarrapada de quem não tem compromisso com Ele, de quem ignora os ensinamentos de Jesus aos seus discípulos, de ser igreja (não templo, mas ajuntados em algum lugar e servindo o Reino na amplitude física e espiritual). É um "escape" pra não fazer nada pelo Reino. Jesus mandou pregar o evangelho também, não foi só fazer boas obras.

      Por acharem que nada é certo sobre Ele, nem sobre o que Ele requer de nós, anestesiam a consciência seguir seus caminhos de qualquer jeito, desde que não façam mal a ninguém. "Sou bom, ajudo as pessoas, sou honesto e justo, eu tô bem na fita". Acham que estão, só por isto, no centro da vontade de um ser que pouco conhecem por usar como desculpa a incompreensibilidade total Dele, para assim desprezar tudo que foi revelado sobre Ele e o que Ele espera. As boas obras não salvam ninguém, só pra constar...

      Concluindo, a alguns críticos falta fé pra crer de verdade nas Escrituras e no Deus que é revelado nelas. Na verdade não gostam nada do Deus revelado nelas e da soberania Dele sobre tudo (principalmente naquilo que discordam do que Ele fez), por isto odeiam "religião" ou desprezam a Palavra, quer dizer, a "caixinha", a "briba". Pra muitos a "caixinha" só vale nas partes em que é gostoso ouvir, mas aonde aperta nosso calo ou Deus pega pesado... jogam no lixo. Pra muitos a saída pra cauterizar mente é achar a "caixinha" e os ensinamentos dela que exigem abnegação e um esforço maior em prol do Reino, uma tremenda bobagem...


      PS: eu também ainda não sei o meu chamado, sei que tenho um, mas só sei que não me faltam dúvidas....

      Excluir
  3. A paz do Senhor
    teve um epoca, no começo da minha conversão, que todos estavam falando sobre oque iriam cursar e tals, e eu não sabia o que eu iria fazer, e faltam 2 anos pra pensar o que fazer, foi aí que eu pensei em perguntar ao criador de tudo, orei muito e todos os dias sobre esse proposito,com uma semana de oração, veio um missionario na minha igreja, e na hora do louvor ele disse que dali sairia missionarios, aquilo entrou no meu coração que eu não conseguia parar de chorar, e todas as vezes que vai algum na igreja e ele fala que temos que atentender o nosso chamado ou nos preparar, é instantaneo eu choro, mais eu tenho duvidas se é para mim ou não

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.