domingo, julho 01, 2012

Fale do meu amor pelo caminho




Dedicado à Júlio Moreira, que além de fazer-me uma das mulheres mais felizes desta terra, tem me ensinado a singeleza de servir ao Eterno ao falar de Seu amor pelo Caminho.
Te amo, meu amor!

Era uma vez uma menina que gostava de palavras. Desde a mais tenra idade aqueles símbolos aparentemente sem sentido a encantavam.

Chegou então o tempo em que na escola para a qual foi enviada começaram a ensinar-lhe a como decifrar aqueles enigmas e que revolução todas aquelas descobertas produziram na vida da menina!
Seus olhinhos curiosos e inquietos queriam ler o mundo ao seu redor e não se contentando com as palavras que sorvia, as deixava escapar por entre os lábios.

No caminho para o colégio, na ida ao supermercado, seus olhos mal piscavam enquanto balbuciava: “li-qui-da-ção”; “su-per-mer-ca-do”; “pa-da-ria”; “Ru-a”; e por aí ia.

A mãe, cansada da animação da filha, ralhava:
 - Leia baixo, menina! Até parece que engoliu um dicionário

Mas era difícil domar o deslumbramento e a inquietude das palavras que jorravam do exterior em seus múltiplos significados.

O mundo das palavras se descortinava e cada dia se fazia de mais descobertas. A menina aprendeu que podia contar histórias. Enfileirava porções de palavras, as ligava por acentos, as desligava em parágrafos.
Descobria que palavras iguais eram por vezes totalmente diferentes. Conheceu as diversas classificações das mesmas. Assim, sabia que palavra podia ser substantivo, adjetivo, verbo e advérbio. Eram como planetas orbitando dentro de um universo cheio de letras-estrelas.

Palavras que lhe fervilhavam a mente e aqueciam o coração. As devorava com ardor. A mistura delas podia ser explosiva, fantástica, poética, assustadora. Não importava a forma, as admirava em devoção.

Havia ainda os hábeis artistas que com palavras trabalhavam, por eles a menina nutria imenso maravilhamento. Eles sabiam como tirar o fôlego, acelerar o coração e através de palavras anunciar doçura e transgressão.

Novidades, inovações, invenções...

Apenas sair para ver o mar, já era motivo para se inspirar. Nestes instantes parecia que um punhado de novas palavras vinha lhe visitar e foi em um dia assim que uma visita surpreendente lhe apareceu.

Seus olhos eram doces e cheios de ternura e paz. Exalava a simplicidade e a sabedoria dos que se sabem grandes sem precisarem absolutamente afirmarem tal posição.

Olhou-a com brandura. Conseguiu detectar as palavras que lhe perpassavam a mente e o coração, até mesmo as mais secretas. A menina, então, entregou a ele todas as suas palavras: feias e bonitas.

Pediu para que ele escrevesse uma nova história. Ainda não sabia seu nome, ainda não ouvira-lhe a voz, mas o pressentia como capaz de ressignificar todas as coisas.

Foi então que sussurrando perguntou:
- Qual o seu nome?

Ele longamente a olhou e então falou:
- Verbo.

Naquele instante a menina estremeceu. Sabia que ali, em carne, estava o verbo, do qual havia lido que no princípio estava com Deus e que também era Deus.

Lembrou-se ainda de outro nome pelo qual o chamavam. Não havia esquecido devido ao amor que nutria pelas letras.

A menina encorajou-se e falou:
 - És o alfa e o ômega, certo?

Ele com a cabeça e um leve sorriso assentiu.

Diante daquele que era o verbo, inicialmente suas ações eram tímidas, mas sua alma se enchera de paz e leveza. A intensidade e raridade daquele encontro lhe fizeram fugir as palavras.

Foi assim que deixou o silêncio falar, enquanto sentada ao lado do verbo deixava-se ficar.

Até que para sua tristeza, viu que ele precisava partir. Despediram-se  com um longo abraço que lhe transmitia a certeza de sua eterna companhia.

Desta maneira, seu recente e já para sempre amigo foi caminhando em direção a uma nova estrada.

Seu coração estava ainda descompassado de emoção por aquele encontro. Foi então que ainda aturdida e vendo-o agora mais longe, gritou:

- Vi que você tem mais de um nome, qual preferes: verbo ou alfa e ômega?

Ele parou, lançou-lhe um sorriso que tudo ao redor iluminou e por fim falou:
- O meu verdadeiro nome é AMOR.

Os olhos da menina explodiram em lágrimas quentes e libertadoras. O amor a visitara.

E antes que Ele se pusesse novamente em marcha, um último recado lhe deixou:

- Fale de mim pelo caminho, se preciso use palavras,*

Roberta Lima

* Frase que condensa diversas inspirações autorais.

O amor de Deus é desde sempre e para sempre (Ed René Kivitz)

Reações:

8 comentários:

  1. De fato não possuo nenhuma parcialidade em comentar seus contos amor... ruiva de palavras cursivas e Delicadas
    Aparentemente simples
    Naturalmente belas
    Singelas, mas que porém escondem a complexidade
    do meu amor...
    Sabes L, extrai esses versos de um poema sobre tulipas ---- sim --- elas ---- a sua flor.

    Bjos. Amada minha. Julio Moreira

    ResponderExcluir
  2. Roberta, mana querida, menina amiga das letras e cúmplice das sílabas, irmã dos versos e prima da rima, vizinha dos parágrafos e aprendiz dos versículos, lembrei-me de uma frase famosa de um grande poeta e cunhador de ideias que sintetiza de forma brilhante tudo o que acabei de ler.

    "O amor é lindo!" (Dadá Maravilha)

    ResponderExcluir
  3. 'Praga de urubu magro, não pega em cavalo gordo."

    Dizia o Profeta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá doido? Só tô brincando com a Roberta por causa da dedicatória que ela fez.

      Não tô gorando e muito menos rogando praga em ninguém não. E torço muito pra que ela seja feliz com vc ou qualquer que seja que ela escolher.
      Procure se informar melhor a meu respeito, ela pode te dizer.

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Não entendesse nada, Fabiano.
      A frase que o Júlio citou é do Dadá maravilha tb...só brincadeira...keep calm e continue nos fazendo rir muito com seus comentários mano!

      Abraços e T+

      Excluir
    3. "O poeta é um fingidor. Finge tão completamente Que chega a fingir que é dor A dor que deveras sente."

      Fê...

      Excluir
  4. Eu já falei inúmeras vezes que preciso atribuir a ti uma palavra que ainda não sei dizer. Já expressei o quanto admiro-te e que entrei na fila dos que torcem por ti?... é já (rs) Ro, quanta verdade há nas entrelinhas de teus textos, quanta doçura e eu gosto, gosto muito desse sorriso que nasce em mim todas as vezes que leio-te bjusssss AMEI!!!! Ahhh o amor .....rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isa,

      Nem sabes o quanto é bom ler teus comentários, saber que eles reverberam em ti...super-bj e ahhhhhhhhhhh, o amor [2] risos

      Abreijos imurchável!

      Excluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.