quarta-feira, novembro 14, 2012

Sim, retirem a expressão “Deus seja louvado” das nossas cédulas!




Ontem pela manhã, ao ler algumas notícias do dia, fui surpreendida com a informação de que o Ministério Público Federal solicitou a exclusão da frase “Deus seja louvado” das cédulas de reais, a nossa moeda. A surpresa, no entanto, deu-se pelo fato de que o Ministério Público Federal se ocupe de tal causa. Informando-me um pouco mais sobre o assunto, li que “no ano passado, a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), órgão do Ministério Público Federal recebeu uma representação questionando a permanência da frase nas cédulas de reais. Durante a fase de inquérito, a Casa da Moeda informou à PRDC que cabe privativamente ao Banco Central (Bacen) “não apenas a emissão propriamente dita, como também a definição das características técnicas e artísticas” das cédulas. Para o Bacen, o fundamento legal para a existência da expressão “Deus seja louvado” nas cédulas é o preâmbulo da Constituição, que afirma que ela foi promulgada “sob a proteção de Deus”. (Em Tempo online)

Pois bem, como crente em Deus que sou, manifesto-me: Por favor, retirem a expressão “Deus seja louvado” das nossas cédulas de reais!

Porque Deus realmente não pode ser louvado através de uma moeda que serve para alimentar a ganância de uma porção de pessoas sem escrúpulos que vendem seus cargos, influência e poder no exercício de funções públicas para elevar a margem de corrupção desse país - Dados oficiais de operações da Polícia Federal em 2011 apontam que quase R$ 6 bilhões sumiram das contas públicas.

Porque Deus de maneira alguma pode ser louvado diante da falta de investimentos na saúde pública, educação, segurança e programas de real eficiência no combate à pobreza e à miséria, quando é necessário trabalhar mais de quatro meses para se pagar a pesada carga de impostos nesse país.

Porque Deus não é louvado quando os salários dos professores no Brasil são vergonhosos, tampouco quando se permite que universidades federais fiquem sem aulas por meses, em greve, sem que nenhum acordo seja feito para atender às reivindicações de professores e também de alunos.

Porque um povo que se sente inseguro não tem motivos para louvar a Deus quando os profissionais que cuidam da segurança de suas cidades são mal remunerados, o que só agrava a corrupção e a violência.

Porque aqueles que buscam auxílio no SUS não o encontram com qualidade e inúmeras vidas são interrompidas pela falta de estrutura agravada por precários recursos financeiros. Não se louva a Deus assim.

Porque Deus deve mesmo ter vergonha dessa frase estampada nas cédulas, as mesmas que são usadas tantas vezes para financiar o “jeitinho brasileiro”, como na rodovia, quando a “gorjeta” é concedida a algum policial rodoviário e se faz vista grossa para a infração cometida, ou ainda na falsa declaração anual do imposto de renda ou no acordo extraoficial que compra o outro lado em uma disputa judicial.

Porque não é possível imaginar que Deus seja louvado enquanto instituições sem fins lucrativos e que deveriam prestar serviços à comunidade enriquecem a custa das verbas públicas.

Impraticável também reconhecer qualquer louvor a Deus também na prática de inúmeras instituições religiosas, nas quais muitas igrejas evangélicas dilatam os números, aproveitando-se da falta de informação, conhecimento e até da fé de milhões de brasileiros que dizimam e ofertam, financiando a prostituição espiritual de líderes religiosos que venderam suas almas ao Dinheiro, tornando-se poderosos e repugnantes.

Por favor, retirem essa expressão das cédulas do real!

Porque ainda que não faça menção a uma religião específica, grupos menores (como os ateus, por exemplo) podem realmente se sentirem ofendidos pelo impresso “Deus seja louvado” em suas notas. Contudo, não se esqueçam de abolir todos os feriados religiosos dessa nação! Inclusive, servidores públicos não deveriam, portanto, desfrutar de descanso nessas datas, tampouco de pontos facultativos, porque o Estado é laico.

Mas quando a expressão “Deus seja louvado” for retirada das cédulas do real, daí sim, a vida de todos os cidadãos desse país irá mudar para melhor. E então, finalmente, o Ministério Público Federal poderá se ocupar das questões “menos importantes”. Será?


--------------------------
#2 Andréa Cerqueira
(@acspira)

Reações:

4 comentários:

  1. Irretocável!

    Também escrevi um post sobre o assunto:
    http://www.hermesfernandes.com/2012/11/deus-nao-faz-menor-questao-de-ter-seu.html

    Abraço, meninas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Hermes!
      E vou correndo ler teu texto!

      Abraço!
      =]

      Excluir
  2. Você matou a pau, mana! Quer dizer, matou não porque matar é pecado e Deus não é louvado assim...rs... corrigindo.... Você arrebentou, mana!

    Mas não vamos ficar dando ideia de acabar com feriados religiosos não... rs... Tá? #ficaquietasenãopodesobrarpranós rsrs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi mano! hahaha vc é engraçado, como sempre!

      Ok, não vou fazer greve geral para os feriados religiosos acabarem, ok?!

      hehehehe

      Abraço!

      Excluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.