sábado, dezembro 08, 2012

Anorexia – As Garras Afiadíssimas de uma Terrível Doença


“…Por que tanto emagreces de dia para dia?” ( 1 Samuel 13.4).


Eu não devo ler e estudar a Bíblia como quem caça palavras aqui e acolá, com a finalidade de escrever um artigo ‘com respaldo bíblico’. Não. Ela é a Palavra de Deus que fala sobre a Sua Graça Salvadora, e fala sobre o Salvador. Diz sobre como podemos nos preparar para viver bem com Deus aqui, e também na eternidade, entre outros importantes assuntos doutrinários e para a alma. Eu não vou encontrar em nenhuma chave-bíblica palavras como “anorexia”, “automóvel”, “patente”, “creme dental”, etc. e, a partir daí, tentar provar que o apóstolo Paulo dirigia um Volkswagen, patenteou a Carta aos Tessalonicenses no Instituto Palestino de Marcas, e escovava os dentes com Colgate.
Mas a Bíblia também é um livro para a família, e quando um de seus membros sofre, tantos sofrem junto. Nas páginas das Escrituras encontraremos também histórias, todas colocadas por Deus para algum ensino proveito nosso (veja, Rm 15.4), de maneira que nas partes onde ela narra conflitos e lutas pessoais, fraquezas e fracassos de homens e de mulheres – e tem até um magnífico tratado de corrida pela felicidade e pela paz de espírito nas páginas do Eclesiastes, possamos encontrar apoio, orientações e conforto para os dramas da vida. É possível notar que homens e mulheres podem vir a sofrer na alma e na mente. Cabem perguntas na Bíblia como “Por que estás abatida, ó minha alma?” E ver isto se manifestando no corpo.
O versículo que encima este texto não fala sobre anorexia, mas fala de um distúrbio. Amon se apaixonou de tal maneira por Tamar, que isto virou uma obsessão. Uma paixão doentia foi ficando tão evidente, que chegou a transparecer no corpo. Emagrecia, não por meio de uma dieta saudável e estável, mas por causa de um distúrbio.
Fonte: Marie Caire on line.
Por que tanto emagreces?…
Hoje vejo que esta mesma pergunta cabe para esta geração jovem de meninas na puberdade e para meninas adolescentes, que estão caindo, vítimas da obsessão do culto à magreza e ao corpo magro. E isto vai virando doença. E desta doença com alto grau de letalidade que é a anorexia, ninguém está livre. Nem as meninas – suas maiores vítimas (95% dos casos, no mínimo) e nem os seus pais e familiares.
Então, nos dias confusos e perigosos para a mente e para o corpo que vivemos, precisamos ser como os filhos de Issacar. Gosto como eles são referidos no livro das Crônicas: “dos filhos de Issacar, conhecedores da época, para saberem o que Israel devia fazer”… (1 Cr 12.32) podemos tirar incentivos para também vermos o nosso tempo, estudando o nosso momento. Algumas considerações sobre o risco da anorexia, aqui.
1. A Vaidade está tomando muito espaço nos corações. Por falta de ensino bíblico eficiente, por falta de mais base, de mais informação na Palavra de Deus; por falta de mais tempo em família para o culto doméstico e a oração; por falta de princípios para a vida (e o principal deles, é glorificar ao Senhor) e de valores cristãos, toda uma geração de meninos e de meninas está crescendo sem parâmetros bíblicos, ficando totalmente à mercê dos valores mundanos, egocêntricos, vaidosos e prejudiciais à mente e ao corpo. Por falta de estabilidade nos lares e cercados pela instabilidade do mundo e seus perversos valores, muitas vidas jovens e preciosas estão sucumbindo ao culto ao corpo e à magreza. A modéstia e a satisfação pessoal com o que tem o como se é, tem sumido de muitos lares. O consumismo tem aumentado entre os cristãos, que vão sendo arrastado nesta correnteza que só leva para depressões e angústias, quando ninguém fica satisfeito com mais nada e reclama de tudo. Também, está faltando quem oriente melhor esta juventude; quem leve à reflexão de que tudo isso é igual à bobagem e a correr atrás do vento. Precisamos, no caso das meninas, de mais mulheres de Deus que instruam essas meninas na verdade, para aprenderem a ser mulheres de fato, e não, manequins anoréxicos que se locomovem, e quase apenas isso.Precisamos repensar o conteúdo de muitas aulas de EBD, ou de grupos familiares, para que a instrução seja mais bíblica, de fato, e mais prática. Precisamos de mais livros como “Deus, o Estilista”; precisamos de mulheres de Deus, bem decididas e que sabem ser modestamente elegantes, e que ajudem essas meninas a compreenderem que “corpo” não é para culto pessoal e vaidoso, mas par o serviço e a glória de Deus. Aí estará a verdadeira beleza a e verdadeira satisfação. Sem o equilíbrio que vem da Palavra de Deus, e expostas a propagandas enganosas dessa vida, meninas poderão cair vítimas de desequilíbrios mentais, e um dos piores deles, é sem dúvidas a anorexia. A anorexia afeta e muito a mente. Causa transtornos tremendos, ali. O reflexo disso virá no corpo, e virá de forma avassaladora e arrasadora.
2. O Acompanhamento devido em dias de crise é muito importante – Somos pecadores e podemos ceder a tentações. Podemos inverter o culto; podemos perverter valores, podemos passar a achar que a mídia e a moda – e não a Palavra de Deus – tem a resposta. E os nossos filhos também podem E até mais. Pais, não descuidem aqui e nem descansem (relaxem; se acomodem). Vocês devem estar acompanhando o crescimento dos seus filhos de perto e vendo as manifestações doentias ou pecaminosas, se ou quando ocorrerem, também.  A anorexia, nosso assunto aqui, para não divagarmos mais, não surge da noite para o dia. É um processo. Mas pode ser um processo muito rápido! Então, percebendo sintomas de rebeldia; de insatisfações e a coisa seguindo para rumos de comportamentos que vão virando pequenas (e constantes e crescentes) obsessões, a hora é de agir. Façam isso também preventivamente. Leiam o que puderem de bons tratados e informações em livros ou na internet; não deixem a alimentação dos seus filhos aos cuidados de terceiros (isto vale para as questões das crianças obesas, também) e muita atenção se a menina não quer mais tomar refeições com os demais na mesa. Cuidado com alegações como as de “que está sem fome”,  “que vai comer depois”, ou que “já comeu” (mas ninguém viu isso, ou viu o prato); nada desse negócio de ‘ir comer no quarto’, pois tudo isso podem ser indícios de que uma sombra monstruosa pode estar pairando sobre o seu lar e se chama anorexia muitas meninas chegam a esconder a comida até debaixo dos colchões, em meias, etc). Crianças não deveriam se alimentar vendo televisão, pois isso distrai. Alimentar-se deve ser um hábito saudável e deve ocorrer com a devida calma e tranqüilidade. Comer ‘engolindo rápido’ é não degustar, não é bom para ninguém. Também, atenção se, durante as refeições a menina (ou o menino) começa a se retirar da mesa, alegando que precisa ir ao toalete. Muitas vezes fará isso para vomitar o que comeu. Isso tem um nome e é um distúrbio: bulimia. Se as saídas da mesa durante as refeições para ir ao toalete estão acontecendo, vá atrás e fique ouvindo na porta. Se perceber sinais de forçar o vômito, ou algo estranho acontecendo, não demore para agir.
3. Falhas que sempre serão faltas.
Procure assistência médica especializada se perceber o distúrbio. Não disfarce, achando que isto é uma “crisesinha de nada”, que logo irá passar, pois pode ser que não passe. E eu diria mais: “logo irá é se instalar”; “logo poderá piorar”, pode fazer mais sentido. Muitas mães falham aqui, por não quererem admitir que a filha está com algum problema, com algum distúrbio alimentar. Mães podem estar errando nesta hora também e este assunto é tão sério que alguém já disse até que “anorexia é doença de mãe”.
4. Algumas dicas.
Outras informações que eu daria aos adultos, é que cuidem melhor sobre as conversas que tenham como tema [constante] dietas; fazer regime urgente!!!; que “está gordo/gorda”; que “precisa emagrecer urgentemente”, etc. Estas manifestações verbais da sua parte mãe (e pai) podem ter um peso e um significado interpretativo totalmente outro, para a sua filha que ouve. Mães, cuidado para vocês não intentarem fazer dietas malucas e pedirem para a filha acompanhar, como uma espécie de ‘apoio moral’ ou ‘incentivo de parceira’, pois você poderá largar a tal da “dieta da lua” (ou,para muitos,‘do mundo da lua’) um dia, mas pode ser que a obsessão por dietas e regimes nunca mais larguem da mente da sua filha.
 Cuidado com o narcisismo; cuidado com as idas ao “Templo Academia”, pois este poderá ser o início de uma longa obsessão depois é para a sua filha. Não digo que vocês (pais) não se cuidem, Digo é que vocês não se idolatrem ou sigam no mesmo rumo da vaidade que aí está.
Também, moderação nos comentários, por favor. Isto é essencial! Ah, e pais (homens) muito cuidado: nada de brincar e soltar gozações quanto ao corpo da filha, dizendo que “ela está gordinha” (já ouvi pai dizendo: ‘como vai a minha porquinha?!)’…”Mas você está precisando mesmo emagrecer, hein?!”, ou coisas do gênero Muitos homens acham que, soltando piadinhas quanto ao corpo da filha, estarão ajudando a menina-moça a fazer um regime. Ledo engano, este. Para regime, melhor do que piadinhas ou obsessões do malhar, procurar a devida informação é o melhor caminho. Médicos, nutricionistas, preparadores físicos foram dados por Deus (toda inteligência e toda capacidade vem dEle!) poderão ajudar muito mais do que as piadinhas fora de hora.
Por fim, pais: NADA de computador no quarto das crianças, ou em locais isolados da casa. Computador é ferramenta e toda ferramenta deve ser utilizada com cuidado e atenção. Prestem atenção nos históricos de internet dos seus filhos com regularidade (vocês têm este direito sim, e este dever!). Saibam tudo sobre as redes sociais, chats e demais conversas e grupos na internet que os seus filhos e filhas participarem. Existem centenas de sites incentivando a anorexia e estes são perigosos. Poucos pais sabem da existência de gírias como “ANA” e MIA”, que nada mais são do que formas cifradas para anorexia (ANA) e bulimia (MIA) na internet. “Miar”, nada tem a ver com “a língua dos gatos”, mas é agora um verbo: “eu miei”, eu seja: “eu comi e depois, coloquei tudo para fora”. Seria algo como: “eu bulimiei hoje duas vezes”, se existisse este verbo, mas existe sim a sua prática! Existem grupos de meninas anoréxicas que se encontram em shoppings para passarem informações e dicas de como enganar os pais, de umas para as outras. Existem pulseirinhas identificando que é ‘ana’e quem é ‘mia’, etc.
Pais, prestem mais atenção na vida dos seus filhos. Preparem-se mais e acompanhem as suas vidas mais de perto. Vale mais à pena perder algumas coisas, do que perder os filhos. Vale mais à pena abrir mão de certas coisas, que a traça corrói e o ladrão rouba, do que ver a filha ou o filho cair em um turbilhão terrível e extremamente doloroso. Tem pais que cuidam melhor do carro, do que dos filhos. Tem mães que cuidam melhor da decoração da casa, do que do coração das crianças, infelizmente.
A anorexia é uma realidade. Uma realidade que cresce e se expande. Ela pode pegar os nossos filhos e as suas garras são afiadíssimas. Muita atenção aqui. E oração e vigilância.
Receba o meu abraço. De pastor e de pai.
………………
Jáder Borges Filho é pastor da IPB Jardim Satélite, em São José dos Campos-SP, e secretário sinodal de UCPS do Sínodo Vale do Paraíba.
Lido em:http://www.blogfiel.com.br/
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.