quarta-feira, janeiro 30, 2013

E um dia o amor chegou...




E um dia o amor chegou...

Com um pouco de bagunça se instalou.
Disse que vinha para ficar e que de mãos dadas iríamos andar.
Sussurrou baixinho um convite à entrega.
Olhou-me nos olhos e acalmou-me o medo.
Tomou-me em seus braços e me fez conhecer sossego e desassossego, encanto e espanto, eletricidade e acalanto.
Beijou-me muitas e tantas vezes.
Afagou-me a alma e os cabelos.
Sorriu sorrisos dos mais variados.
Caminhou ao meu lado.
Correu ao meu encontro.
Carregou-me quando cansada.
Reanimou-me.
Ressignificou-me.
Recriou-me.
Me fez poeta.
Me fez pateta.
Me refez.
Desfez a solidão.
Fez muito e quase tudo.
Contudo não me cansou.
Sobretudo me alegrou.
Com uma alegria mansa e leve.
Com uma presença que parece prece.
Com um revelar de sentidos
E um desvelar de bons e maus entendidos.
Não é perfeito mas é puro.
É frágil e é forte.
É grande mas transportável em meu peito.
Não respeita a rima e nem a métrica.
Mas ainda assim possui a mais perfeita estética.
É amor.
Portanto não cabe em muita descrição.
Tampouco aceita muita discrição.
Apenas me diz que é amor e que agora, chegou!

Roberta Lima
Reações:

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Suspiros intrínsecos a quem tem "Poulain" por sobrenome ;-)

      Excluir
  2. Ah o amor! Ele sempre chega curando, fortalecendo e deixando-nos bem mais bonitas (rs)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.