sábado, janeiro 26, 2013

QUEM FABRICOU O SEU JESUS?



Existe muitos tipos de Jesus por aí, mas só um é o verdadeiro. Muitos “Jesuses” foram fabricados por Hollywood e a ideia de que ele tem cabelos longos castanhos, olhos azuis e pele branca veio certamente da tela do cinema ou da TV. Mas as pessoas comuns também têm fabricado vários tipos de Jesus – as vezes ele é tudo um pouco: amigo, um bom camarada, um lunático, um homem de moral, um grande exemplo. Enfim, todas essas fabricações mostra-nos um Jesus de plástico, industrializado pela mídia, pintado à gosto do cliente, complacente, não assustador, paz e amor. Fazemos isso, porque todo mundo quer a companhia de Jesus, mas não como ele é de fato. John Piper escreveu:“Todo mundo sabe que é muito bom ter a companhia de Jesus, mas não a companhia do Jesus original, não-domesticado, não-adaptado. Apenas o Jesus revisado que se encaixa em nossa religião, plataforma política ou estilo de vida”.
O Jesus não fabricado
Mas o Jesus verdadeiro está vivo e podemos conhecê-lo como de fato ele é. Para mim, não há um resumo melhor para entender que Jesus veio a esse mundo para nos revelar quem ele é através de três ofícios do Antigo Testamento. Jesus é o grande profeta, o sumo sacerdote e o supremo Rei. Quando entendermos isso, então estaremos próximos de um Jesus não fabricado, não industrializado pela mídia ou distorcido pelas pessoas. Mas estaremos perto do Jesus revelado na Bíblia.
Profeta
As pessoas geralmente não apreciam tanto aqueles que só falam a verdade e os profetas, mas do que profetizar, eram homens que falavam a verdade de Deus custe o que custar. Eles permaneciam firmes, resolutos. Essa é a verdade que Deus me mandou dizer e vou falar não me importando o que possa acontecer comigo. Os profetas sempre falaram na autoridade de Deus.
Mas Jesus é superior aos profetas e, sendo Deus, falava na sua própria autoridade (Mt 5:22). Todos aqueles que ouviram Jesus estavam bem atentos ao fato de que Jesus não fala como os outros líderes religiosos. Depois de uma série de mensagens, “as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino, porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os mestres da lei”, Mt 7:28,29.
Na prática, isso significa que Jesus sempre falará a verdade. Nunca ficará do lado de ninguém, porque Ele sempre está certo. Significa também que Jesus colocará o seu dedo em nosso peito, olhará em nossos olhos, nomeará nossos pecados e nos dirá para não pecarmos mais. Ele não passará a mão em nossas cabeças. Esse Jesus que não fala a verdade em amor, mesmo que doa, é um Jesus fabricado pelas pessoas de corações moles, carentes e fracos. Jesus confrontou os fariseus com palavras duras, dirigiu-se aos seus discípulos como pessoas más e homens de pequena fé e disse para algumas pessoas perplexas por causa de uma tragédia, que se elas não se arrependesse, elas pereceriam do mesmo jeito ( Lc13:1-3).
Sacerdote
No Antigo Testamento, o sacerdote humildemente se colocaria entre Deus e os homens para servir como mediador. Ele traria as esperanças, os sonhos, os medos e os pecados do seu povo diante de Deus como advogado e intercessor. Ele ouviria a confissão deles e oraria por eles. Além do mais, a parte central do seu trabalho era oferecer os sacrifícios para mostrar que o pecado é real e merece a morte, enquanto pedia a Deus perdão. Então, depois de tudo, ele falaria ao povo as bênçãos de Deus. Sem dúvida nenhuma, as funções do sacerdote são cumpridas em Jesus plenamente.
Hebreus no conta que Jesus é o nosso sumo sacerdote (3:1; 4:14). Jesus se fez homem para se identificar com a gente. Como homem e como Deus somente ele pode realmente ser o mediador entre os homens e Deus (1 Tm 2:5). E por estar vivo, Ele sempre cuida de nós. Hebreus 7:25 diz: “Portanto, ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles”.
Na prática isso significa que Jesus realmente nos conhece, nos ama, se importa com nossas vidas e cuida de nós. Sobre isso Mark Driscoll escreveu: “Ele não faz isso porque nós somos grandes, mas porque ele é o nosso sumo sacerdote. Jesus é o sacerdote que conhece cada fio de cabelo da nossa cabeça, dias da nossa vida, desejos do nosso coração e pensamentos da nossa mente. Nesse momento, Jesus está levando nossa dor, sofrimento, necessidades e pecados ao Pai em amor e oração como nosso sumo sacerdote”.
Jesus se importa e vemos isso em sua vida. Ele se importou com leprosos, prostitutas, religiosos, pescadores, doentes e endemoninhados. Ele se importa. Para que isso fique claro, olhe a cruz e veja a morte substituta de Jesus. Quem nos amaria a tal ponto?
Rei
Jesus é também nosso Rei. Como diz em Ap 19:16 “Rei dos reis”. Abraham Kuyper disse: “Não existe um centímetro quadrado em toda nossa existência sobre a qual Jesus, que é soberano sobre tudo, não fale: ‘é meu’”.
Na prática isso significa, que não extiste um aspecto de nossas vidas que Jesus não reine sobre ele. Ele é supremo. Ele é dono de tudo. E como Rei, ele deve ordenar o que devemos fazer, como devemos viver, como devemos comer, andar, falar, trabalhar. Ele reina sobre nossa sexualidade e nos diz como devemos usufruir dela. Ele reina sobre nosso namoro. Ele reina sobre nossa casa, nosso dinheiro, nosso tempo, nosso lazer e sobre todo o restante.
Quem é o rei da sua vida? Você ou Jesus? Porque se for você ou qualquer coisa além de Jesus, então saiba que você está do lado inimigo e que Jesus mandou uma delegação para você, ordenando que se renda ou senão ele invadirá e o conquistará.
Não fabrique Jesus
Nosso pedido hoje é: não fabriquem nenhum Jesus e não seja parecido com os liberais, os religiosos ou os evangelistas modernos.
Os liberais são aqueles que amam o sacerdócio de Jesus e seu reinado, mas não amam o lado profeta dele. Eles não gostam de palavras duras, de confrontação e acham que Jesus nunca ofende ninguém, nunca eleva sua voz, nunca machuca sentimentos e nunca fala de forma firme e dura. Mas quando lemos os evangelhos, você não acha que o oposto está mais próximo da verdade?
Já os religiosos amam o Jesus profeta e Rei, mas não gostam de Jesus como sacerdote. Eles são cheios de regras, amam os mandamentos e aqueles que não vivem a altura, eles massacram com palavras duras, com exigências cruéis e muito mais. Mas Jesus era capaz ( e é ainda, porque está vivo) de se aproximar de uma prostituta e conversar com ela. Ele era capaz de amar, cuidar, perdoar, ser amigo de pessoas desprezadas e chamadas de “pecadoras”.
Por fim, os evangelistas modernos são os que falam muito que Jesus ama vocês e vocês precisam saber que ele a é verdade, mas evitam falar que se vocês vierem a Jesus vocês devem obedecê-lo até a morte e que a vida cristã é difícil e não um mar de rosas. Jesus não aceitava aqueles que queriam ser seus discípulos por entusiasmos ou que colocam o conforto, os problemas e os relacionamentos acima do próprio Jesus ( Lc 9:57-62). Jesus também falava em suas pregações sobre o inferno, sobre o pecado, sobre a ira de Deus e sobre como o amor se relaciona com todas essas verdades. Você já ouviu alguma pregação assim ultimamente?
Jesus veio a terra para se revelar a nós como o profeta que fala a verdade para nossas vidas, como o sacerdote que ama e cuida de nós e como o Rei que reina sobre cada aspecto de nossa existência.
Cristãos, quem fabricou seu Jesus?
Lido em: Tempo de Colheita 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.