segunda-feira, junho 30, 2014

Antigas vitórias


Há um poder destrutivo nas antigas vitórias. Algo que nos faz pensar que que são eternas e que podemos revivê-las sempre que as lembrarmos.

Nos aquecemos pensando em como aconteceram, como se  ainda existissem e merecessem total atenção e respeito.

Infelizmente, as conquistas têm curto prazo de validade; esfarelam-se após alguns poucos meses.
Se venceste há cinco meses em algo, hoje já não as possui mais.
Essa é a regra.

Não. Por favor, não pense que isso é cruel ou rude. A vida tem seus motivos de ser assim.
Precisamos de novas conquistas, novos assuntos, novas maneiras de ser nós mesmos sempre. Precisamos ter conosco desafios que nos impulsionem a fazer mais e melhor. É por isso que deprecia-se quem vive os tempos passados somente.

O antigo provérbio iídiche tem suas razões em dizer:

'O homem é o que é, não o que foi.'

Então seja.
Seja, na conjugação mais presente do verbo.
Seja o seu melhor todos os dias.
Pois viver pode até parecer, mas não é atemporal.


Um beijo,
Lu.
Reações:

2 comentários:

  1. Maravilhoso, Lu!

    Sabe quando 'você sabe' exatamente do que o outro está falando, pois é...acho que sei...risos :)

    ResponderExcluir
  2. Também sei, Robertinha! Maravilha, Lu! Beijo, Sarah dos olhos verdes e brilhantes! <3

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.