segunda-feira, outubro 31, 2011

Vale a pena "ler" de novo: Minha imersão no mundo gay




Não. Não virei lésbica, bi ou qualquer outra coisa. Apenas quero informar que fiquei uns bons e deliciosos anos no meio desse pessoal maravilhoso! Isso mesmo pessoal maravilhoso.

Não quero fazer apologia a Homossexualidade, também não vou levantar nenhuma cruz para eles. Preciso e quero apenas compartilhar uma experiência que tive.

Era um domingo e igreja lotada de gente, lá estava eu na frente da igreja onde ministraria o louvor. Ele entrou com seu irmão e sentou-se desconfiado olhando desconcertadamente para os lados. Cumprimentei seu irmão que logo o apresentou. Todos foram cumprimentá-lo na tentativa de fazer aquele “visitante” sentir-se a vontade. Foi uma reunião muito abençoada.

Algum tempo depois ele voltou acompanhado de seu “amigo”, como foi bom vê-lo novamente e melhor ainda, trazendo mais alguém consigo. Passou a freqüentar todas as reuniões, sempre com muita curiosidade e interesse em aprender. Ficamos amigos éramos um trio muito alegre e divertido, eles estavam extasiados porque até então não haviam recebido tanta atenção de pessoas evangélicas.



Apesar de fazermos quase tudo juntos havia maior proximidade entre eu e Wagner*. Íamos aos shoppings, a boates a barzinhos! Lembro como se fosse hoje minha entrada em um bar gay da região da República. Não foi tão aterrorizante como pensei que seria, mas também não foi uma maravilha! De um lado minha tradição religiosa me questionava "o que eu fazia ali?!", do outro, meu amor por aquela pessoa me trazia serenidade e me orientava em como entrar e sair.

Conheci pessoas fantásticas, inteligentes, esclarecidas, mas conheci também muita gente que não havia se encontrado ainda – há pessoas assim em todos os lugares – Fui encantada e encantei – modéstia a parte – a muitos vi seres apaixonados e apaixonantes! Percebi nesse período que ninguém jamais havia me ensinado amar o GAY, ou o diferente, pelo contrário, todos me ensinavam que tínhamos que “consertá-los”.

Certo dia senti um forte desejo de ligar pra o Wagner, quem atendeu foi sua mãe que logo perguntou se eu poderia dar uma passadinha em sua casa. Disse que tão logo desligasse eu iria. Foi o que fiz. Encontrei um rapaz deitado na escuridão do seu quarto gemendo de dor – eles haviam terminado o relacionamento – Soube que isso ocorrera muitos anos mais tarde. Olhei aquele homem sofrendo de amor, como jamais vi uma mulher sofrendo e me compadeci, minha alma se compadeceu.

Oramos apenas. Ele chorou muito e muitas outras vezes chorou por esse amor. Passados mais de três anos, indo de bar em bar, de boate a boate, nos pegamos enjoados daquela badalação. Ficamos mais igrejeiros. Ele também entrou para o louvor. Hoje ainda somos como unha e carne. Falo sempre que ele é minha metade homem, por pensarmos e sentirmos da mesma forma.

Sei que na sua língua deve estar coçando um pergunta: Mas e aí ele “desvirou” de ser GAY?! Te respondo: Não sei e nem me importo com isso. Sei que continuamos.

Jesus escolheu doze homens falhos e “inaptos” para serem seus discípulos, e mais adiante serem apóstolos, sabemos suas características, sabemos de suas condutas, tinha até um com desvio de caráter – Judas. Ele simplesmente os separou e começou a ensinar-lhes durante o caminho e, apenas um, Judas, interrompeu a caminhada por não querer que o ensinamento do MESTRE fizesse diferença em sua vida.

Não pedi pra ele mudar. E não pediria para qualquer pessoa mudar. Minha missão é ensinar a VERDADE sabendo que essa liberta, orienta e transforma. Se eu colocar meu dedo nesse processo de transformação criarei um SER DEFICIENTE.

Somos mesmos capazes de amar sem interferir no livre arbítrio do outro?! Será mesmo que temos ensinado as pessoas amarem como o MESTRE amou? Não li nenhuma passagem onde ele manda os discípulos mudarem, caso contrário não seriam discípulos.

Teria muito mais a falar, teria muito mais a informar, mas paro por aqui e peço um reflexão, não sob o prisma da cultura religiosa, mas uma reflexão sob a ótica do MESTRE.

Eu digo que por essas e outras amo a loucura do EVANGELHO, por essas e outras amo a loucura do AMOR DE DEUS!

Cresçam e Floresçam

Noh Olive

 Obs.: (*) Wagner nome fictício.
Reações:

6 comentários:

  1. o homosexualismo é dispresível aos olhos de Deus, Deus se entristece quando o nomeme se corrompi, os discipulos era pecadores, mas se arrependeram e cada um vai ser julgado por Deus. é claro não devemos julgar ninguém mas quem AMA UM AMIGO orienta ele, se arrepender é o principio da salvação, do perdão. quanto a homosexual estar na frente de louvor, a adoração a Deus deve ser uma coisa pura e feita com perfeição, não digo voz, digo alma humilhada e pedindo perdão, adoração pura e arrependimento de pecados.

    ResponderExcluir
  2. uau! você é mto corajosa, mto polêmico seu post.
    Bom, o que tenho a dizer é que tenho alguns amigos gays e amo todos! amo passar tempo com eles, bater papo, sair e compartilhar.
    Nunca consigo tocar no assunto "Jesus" ou igreja com eles porque inconscientemente acho que não saberia lidar com eles na igreja.
    Que horror dizer isso né? Mas infelizmente é assim que vejo... Eles seriam aceitos? No fundo, eu não ia querer "consertá-los"?
    Infelizmente a igreja, a religião incutiu coisas em nossa mente que interferem diretamente na nossa maneira de agir.

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo sua atitude de amor, porque Deus é amor e ELE não faz acepção de pessoas.
    Porém devemos orar muitooo a Deus e pedir sabedoria para conduzir o homossexual a Cristo,para a salvação de vida eterna, JESUS não veio para nos condenar mas para trazer vida e libertação,perante Deus o homossexualismo é abominação, vamos amalos e conduzilos a verdade, porém não concordar com esta pratica.
    Recomendo o testemunho do Paulinho ex Paulete muito lindo!!! de um ex travesti que era filho de pastor que foi resgatado através do amor!!!!

    Jeus te ama!!

    ResponderExcluir
  4. Um dia desses dessa vida conheci Mauro, ele era cabeleireiro, super engraçado e sempre falava essa frase "È mais fácil desintegrar um átomo do que um Preconceito" com sua voz ligeirinha,ele me chamava pra dançar mesmo sabendo que eu era dura como uma tábua,me deixava vermelha quando dizia que eu era linda e que um dia um moço descente me chamaria pra passear e falaríamos sobre o amor, ele adorava falar sobre seus encontros, sempre muito discreto e pedia minha opinião sobre tudo.Em nosso primeiro e ultimo natal Mauro regado a vinho e churrasco me fez sorrir quando desejou nadar na piscina segurando o copinho de cerveja, tudo poderia cair menos aquele copo. E ele me disse baixinho Isa, eu vou ser feliz eu vou dançar ate me acabar aqui ou em qualquer lugar. Nunca mais o vi mas valeu a pena cada momento e de verdade sem mais ou menos "O amei".

    ResponderExcluir
  5. Olaaa até concordo com algumas coisas que vc disse.... mas a questão é! Jesus conviveu com um gay.... e deu exemplos de como conduzir um relacionamento com alguém assim? por que na verdade o criador fez 1 homem e 1 mulher e não 1 meio termo.... a pessoa só pode ser liberta se quiser... tenho dois casos na minha família... o inimigo maldito mentiroso e infeliz.... faz de tudo para afastalos de Cristo... mas creio q ele é poderoso nas batalhas sua palavra não falha e eles serão libertos.... mas é como vc disse só com Amor mesmo..... só o amor de cristo através de nós..... transforma todas as coisas...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.