terça-feira, junho 26, 2012

Confessionário sobre a tristeza



Tenho estado triste.

Sim, no gerúndio. Não gosto de gerúndios, nem gosto de estar triste. Mas a vida nem sempre faz conta do que a gente gosta. Apenas acontece.

Ao contrário do que muitos dizem, não acho que tenho que esconder minhas tristezas para que pensem que sou inteira feliz. Não sou. Ninguém é.

Estar triste me deixa cansada.
Não sei porque me sinto assim, mas meu corpo chega a doer.
Ai me lembro daquele texto da Bíblia que diz 'A alegria de Deus é a minha força'.

Quando a gente está feliz, está forte e nem percebe. A gente só percebe quando a tristeza invade. Dai sentimos falta daquilo que nem percebíamos ter. Pura ingratidão!

Minhas doses de alegria tem vindo a conta gotas: um livro de cabeceira, o grito agudo e desajeitado dos passarinhos, um chiclete gostoso que ganhei.

Quando a gente esta alegre todas as cores gritam alto, os sabores se perdem no meio delas e se entrelaçam com a música. Quando a gente está triste, não.

Na tristeza, as alegrias pequenas são sentidas de forma profunda e intensa.
Até porque, senti-las é o remédio.

Não peço a Deus para que me arranque essa tristeza, mas que me dê habilidade em transforma-la em algo bonito. Em poesia, talvez.


Abraços, Lu Poulain.
Reações:

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Não poderia ter escolhido melhor as palavras [doce] Ísa!

      Ser inteira é um ato de coragem.
      Apresentamos, dia-após-dia, nossas faces mais bonitas, nossos melhores risos e nos enchemos de palavras de esperança.

      Mas, se Deus nos criou inteiros, com todas as formas de sentidos e sentimentos, por que nega-los?

      Fingir força cansa a alma.

      Por mais que a dor seja incômoda, ainda não encontrei artífice mais habilidoso que ela, para a alma.

      Que Deus nos ajude a extrair sabedoria nesses tempos escuros e frios.

      'Abreijos'! :)

      Excluir
  2. Meus olhos doem. Essa vontade de chorar me deixa aflita. As vezes prefiro pensar que passar por isso eh até necessário. Mas na maioria não eh suficiente pra calar o grito de dor da minha alma.. Por que tem que doer tanto?? Talvez essa tem sido a pergunta que mais faço pra Deus.. Esse TEMPO de espera dói. O fato de não saber o que vai acontecer dói. Tenho tentado não demonstrar tanto.. mas ultimamente ando não conseguindo.. "OH Senhor Deus, quando senti que poderia morrer, o Teu AMOR me amparou. Quando estou aflita e preocupada, TU me CONSOLAS e me ALEGRAS" Ajuda-me Senhor a reconhecer a Tua presença nesses momentos tão difíceis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A espera dói.
      A falta de esperança, dói ainda mais.

      Só a fé nos proporciona refrigério em tempos de espera. E como são longos esses tempos...

      Pior que a dor do choro é a dor de quem desaprendeu a chorar.
      Agradeça a Deus pelo coração sensível que possuis.

      Um abraço de quem te compreende, Lu.

      Excluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.