quarta-feira, agosto 24, 2011

Como uma onda no mar



Quando fecho os olhos me lembro da cena: eu sozinha nas águas quentes de João Pessoa, olhando o horizonte sem fim, sentindo o sol queimar meus ombros... Fiquei ali minutos querendo eternizar aquele momento porque sabia que dentro de meses seria apenas mais uma dentre as muitas cenas que gostaria de reviver. Quando de repente uma onda veio forte eu quase tombei, quase... mas levantei novamente rindo sozinha e balançando a cabeça,  logo disse para todos que ali estavam (como se estivessem rindo de mim): céu, mar, sol, anjos e demônios... será que nunca poderei me render completamente a nada sem que algo tente me derrubar ?

E a resposta em uníssono foi uma só dentro de mim: Não. Aqui não.

Tenho a impressão que cada dia virá uma onda diferente, mesmo não tendo mar aqui em Minas. Algumas vezes ‘furo’ as ondas, outras tantas como alguém já disse uma vez e ri muito, até os micro-ondas me vencem.

Tenho impressão que estar vivo é como estar em um mar aberto, é saber que por mais que seja lindo e possa até estar confortável em alguns momentos, como um dia de verão, as ondas virão, os dias de chuva chegarão e se você não souber nadar, você se afoga.

Quem dera pudéssemos viver a vida apenas de momentos bons, contemplativos, serenos, subjetivos. Viver diariamente nesse mar requer cuidado, muitas vezes objetividade, e atenção, além de ondas extremamente perigosas, corre-se o risco de topar com algum tubarão, água-viva... Eu pensava diferente, mas hoje vejo que uma boa dose de sensatez e precaução é que me garantem aproveitar ao máximo e com qualidade o meu dia nesse mar aberto que é a vida. Claro que digo isso agora, depois que já tomei muito ‘caldo’, depois que já enverguei muito, depois que muitas águas-vivas me queimaram a perna, antes não...

Seria loucura querer ser sensata antes de ser completamente insana. No bom lado da insanidade, a displicência total sem pensar em qualquer contra, apenas nos prós, da vida, de tudo e de todos. Isso que é loucura!

Tem pessoas que preferem as piscinas da vida, é o que podemos chamar de ‘vida artificial’ não tem ondas, não tem ‘animais marinhos’, apenas elas e seus convidados, pessoas que como elas não tem saco para areia, sol, mar...

Visito algumas piscinas de vez em quando, mas contudo ainda prefiro o mar. A areia me irrita sim, as ondas me pegam de surpresa, mas viver ‘vida de piscina’ para mim não dá.



O som do mar nos meus ouvidos causa uma sensação única que nenhum som no mundo é capaz de causar. Minha alma na mesma hora responde com sorrisos.

O som do mar me acalma, diz muita coisa para mim, é como se a criação louvasse, é como se eu me encontrasse, é como se Ele falasse para mim que eu não precisava temer.

A sensação é aquela de querer colocar os pés sobre as águas e caminhar rumo a Ele, ali não tenho como não pensar N’ele,  é como se ele estivesse ali a me esperar no meio do mar...


Reações:

7 comentários:

  1. É engraçado! Quando comecei a ler, logo imaginei "Esse texto é da Simone Caetano". rsrs
    Essa coisa de identificar o autor do texto pelo sentimento e pelo conteúdo tem acontecido com bastante frequência por aqui no Reino.
    Si, também amo essa sensação de estar no mar.
    Bjs cariocas procê!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo!
    ameei o texto, pois tambem acho o mesmo quando vejo o mar . . e fico a pensar cmo Deus é tão poderoso e magnífico, criou o mar e lhe impôs um limite no qual as ondas nao passam ( somente com o seu mandar)!!

    beeijos

    :)

    ResponderExcluir
  3. Leila é impressionante como identificamos nas primeiras linhas quem escreveu aquele texto ou até mesmo pela característica de cada uma quem postou o vídeo ou outras coisitas básicas aqui. Hoje quando comecei a ler o texto de Simone por incrível que pareça queria já chegar ao fim pra saber de quem era essa preciosidade e confesso que fiquei encantada até porque nunca tinha lido algo tão simples porém tão cheio de vida e efeito imediatamente mandei um tweet pra Si elogiando sua obra prima. Hoje pude até sentir a brisa do mar e ouvir o barulho das ondas foi demais ... Simone você aprimorou e criou uma forma de identificarmos quando você escreve "ouço o barulho das ondas" bjimmmm amo meu lar virtual ....Meninasdoreino.com

    ResponderExcluir
  4. Esta é a primeira vez que venho aqui! Também tenho um blog onde coloco minhas reflexões... Simplesmente amei o seu comparativo com o mar! Com certeza a vida, no mar agitado é muito melhor do que nas piscinas, pois é lá, bem no meio da noite e das ondas agitadas que Jesus nos espera de braços estendidos....

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu blog, seus textos são ótimos!
    Adorei este sobre o mar...
    estou lhe seguindo

    beijos
    tem sorteio no meu site,participe:
    http://www.maquiagemebeleza.com.br/sorteio.asp

    ResponderExcluir
  6. Queridas...

    Fico bem emocionada de ler o retorno de vcs !

    Espero que possamos nos fortalecer ainda mais a cada dia para aguentar as ondas que ainda viram.

    Bjos carinhosos

    ResponderExcluir
  7. Si minha mana Lora! Cada post seu é como um refrigério na minha alma! Obrigada por nos fazer literalmente viajar contigo em cada palavra!!! Que o Criador e inspirador de todas as coisas sempre renove o talento e o dom que te deu!
    Beijinhos da Noh

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.