sexta-feira, dezembro 10, 2010

Relação virtual, sofrimento real

É difícil falar disso de uma forma sintética... Tenho profundas marcas a respeito desse argumento, mas aí vai...


Amados amigos, eis a realidade do virtual:
A solidão na Web está cada vez mais comum.

Várias pessoas têm encontrado uma maneira de contornar o problema de estar sozinho "criando" uma relação virtual sobre a qual despejam todas as expectativas e sentimentos de um relacionamento real. Com um único problema: A outra pessoa está na outra extremidade de um fio ou de um monitor.

O problema está se generalizando e, infelizmente, cria um sofrimento que de virtual não tem nada.

No entanto, nestes casos, cria-se uma relação que não é saudável, pois baseia-se na idealização do que a tal pessoa está falando ou escrevendo, sem que você realmente tenha certeza da verdade.
A pessoa pode ser sincera ou não, pode dizer ser o que é ou não.Você só vai saber com o tempo.

Quando você se dispõe a ter um relacionamento através da Internet, dá ao parceiro o melhor de si, especialmente se você quiser criar uma amizade onde irá partilhar semelhanças, gostos, interesses, até mesmo somente um conhecimento superficial.  

Mas quando há, no meio disso, a solidão desperta-se a expectativa e a ilusão.  
Espera-se que, conhecendo-se um pouco mais a cada dia, se possa apaixonar, ver, formar um par.

Mas basicamente existe o medo.Medo de encarar a realidade, a dificuldade ou o amor real.


Assim,você estabelece uma relação a distância e quando há o encontro TUDO parece sempre lindo e perfeito. Na verdade, quando se encontra no messenger, via e-mail, telefone ou web CAM, se tenta dar o melhor de si juntamente com um POUCO (digo POUCO) de vida diária.


Mas enfrentar uma vida em comum é outra coisa e isso é assustador .


Há aqueles que trabalham muito e não têm tempo de interagir socialmente com os amigos lá fora.Aqueles que tem um casamento infeliz, outros têm um compromisso ou uma convivência com alguém e não se sentem felizes. Há aqueles que por muitos anos viveram sozinhos .Outras pessoas são introvertidas, algumas são tímidas... mas há,também, aqueles que, apesar de não serem introvertidas, têm "medo" de lidar com um relacionamento, porque isso exigiria compromisso, dedicação, atenção e até mesmo o sacrifício e a entrega.


Nestes casos, se estabelece relações que são "substitutas" para o que nos falta, mas elas são perigosas tanto para aqueles que as querem, quanto para os outros. Atrás do hábito, o anexo é oculto...cria-se um apego...E por trás dele se escondem o ciúme e a exclusividade.


Uma relação de "Amor Virtual", quero dizer, entre pessoas que por meses se ligam, se escrevem, mas nunca se encontraram, é uma substituta do carinho, da ternura e impede que o amor real, palpável, chegue.Porque a mente e, em alguns casos, o coração está envolvido em algo que realmente não existe. As duas pessoas não sabem se o cheiro do corpo será compatível, se o beijo será um prazer ou desgosto,se as mãos se encaixarão perfeitamente. Elas não sabem quais são os hábitos de vida dia e noite e não sabem nada sobre nada. 
Mas idealizar através do que se escreve cria um "ideal de ser" que enche a imaginação e faz acreditar que não se está sozinho, criando efetivamente uma solidão e um vazio cada vez maior.
 
Você sabe quantas situações desesperadoras têm surgido na Internet?
Você sabe quantos suicídios aconteceram por amores cridos reais?


Existe muita energia negativa, pois as pessoas se sentem bem ao ouvir a voz de alguém, ler e-mails, bate-papo e a cada dia se sentem satisfeitas de uma relação que, muitas vezes, nem existe.


Continua-se a perseguir um sonho,que no entanto, está apenas na cabeça.  
E,vos confesso... Aconteceu comigo...


Este homem brincou por um tempo ,depois voltou para sua vida real. Sua casa continuava lá,seus filhos,sua esposa,seu trabalho... tudo intacto!
- É triste vê-la sofrer, mas nada mais. (Disse-me)


A dependência por este tipo de relação que não é nem conhecimento, nem amizade, não é positiva.


Como eu já disse, a Internet é uma ótima ferramenta e pode dar-lhe muito para o crescimento espiritual e pessoal, devido à liberação imediata que podem ter todos os instrumentos conectados à web.Mas um instrumento virtual não pode ser um substituto para um encontro de um casal real.  


Aqui é onde está o erro.


Por medo de encarar o fardo, a dificuldade de um relacionamento real, agora cada vez mais pessoas se fecham à vida contentando-se de um relacionamento apenas virtual.Enquanto se tratar de fazer amigos,compartilhar conhecimentos, educação ou experiências, isso pode ser bom, mas o homem e a mulher foram criados para se encontrarem, se amarem, procriarem, criarem uma família a viverem juntos. Deus quis que assim fosse... Ele criou assim.


Se o Criador tivesse tido a intenção que nós nos encontrássemos na imaginação, ele teria nos deixado espíritos.


O medo que fecha o coração e entorpece a mente está invadindo o mundo.  


Quando você se sente bem, como eu disse, quando as necessidades básicas são atendidas, você tem medo do sofrimento.

Não estamos acostumados a lutar, sofrer e, às vezes, é suficiente uma má experiência para nos fazer criar uma muralha em volta de nós mesmos.São nesses casos e em muitos outros semelhantes que recorremos à Web, a "encontros" virtuais...E onde há mais solidão é onde há mais ilusão.


É por isso que este é um terreno perigoso.Porque se têm a ilusão de companheirismo, amizade, envolvimento com pessoas na rede e se têm sempre isso à mão, na facilidade de um "click". Com isso você não quer mais sair,encontrar pessoas reais, evitando a troca na vida real.  


Há muitas pessoas que dizem que são o que não são. Existem situações completamente inventadas.

Há momentos de solidão que, para evitar ficar sozinho, você cria um personagem, uma dedicatória ou uma aceitação que na vida real você não tem. Assim como existem pessoas,também, que trazem para fora toda a sua feiúra ou vulgaridade, porque estão escondidas por uma tela.


Em cada situação,portanto, é ESSENCIAL manter o equilíbrio e a lucidez.

Ninguém cresce em relações virtuais.
 
A gente só cresce no encontro do dia-a-dia, carne e osso, cara a cara, olho no olho, é na madrugada da lágrima, na necessidade do abraço, é na convivência do limite do amigo, do irmão, da esposa, do marido, do filho, do pai, da mãe, da filha, é na mesa, é na conversa, é no silêncio que incomoda, é ai que a gente cresce. 


Podemos aproveitar esta maravilhosa máquina, que nos permite conhecer outras pessoas, culturas e lugares, sem que por isso tenhamos que abdicar de nossa fé, de nossos costumes e de nossas crenças.


O telefone, celular, a Web CAM, o computador enfim aproximam e até nos tornam conhecidos em parte, mas nunca substituem o poder do: abraço, do carinho, do toque, do beijo. 

A presença é fundamental.A vivência é inevitável para que este amor seja completo e amadurecido.



Amar é, sentir, ver, tocar, viver a realidade dessa presença, é poder falar e ser ouvido, é viver a dois como sendo um. 


[Uffa!Consegui!]


Vos abraço carinhosamente.
Reações:

10 comentários:

  1. Profunda verdade. Ótimo texto.

    Suportar um ao outro virtualmente é muito fácil, basta ficar off line (invisível) ou bloquear até a pessoa sair da tela. Um relacionamento virtual e uma falsidade bem real.

    A menos q o relacionamento se "materialize", não vale a pena investir. Quando buscamos relacionamentos virtuais distantes consequentemente abandonamos o mundo real, quem está realmente perto de nós.

    "A internet te aproxima de quem está longe e te afasta de quem está perto (família, amigos)." (autor desconhecido).

    ResponderExcluir
  2. Gente, vou te que discordar de vocês hoje.
    Pessoalmente, confesso que não deu certo comigo também, mas entendo que, você consegue se abrir muito mais no mundo virtual, do que de cara a cara. Aquilo que se demoraria algum tempo para dizer ao vivo, às vezes é dito com bem menos tempo no virtual, pois as pessoas se sentem mais à vontade. Mentirosos existem ? Sim ! Assim como na "vida real". E só o tempo consegue revelar em ambas as situações.
    Minha irmã casou com algúem que conehceu na Internet. E quando se viram pela primeira vez, toda essa questão de "pele", como foi dito no texto, só foi confirmado.
    Não podemos mais ficar só culpando a Internet pelos fatos escabrosos que conhecemos. Há exemplos de pessoas que são casados há anos e de repente descobrem algo vergonhoso do parceiro ou nunca sente realmente pleno com ele.
    Concordo que um relacionamente não vai para frente sem o encontro finalmente. Seria até doentio se isso não acontecesse. E quando acontecer, pode estar fadado ao erro ou acerto, como em qualquer outro caso, pois só o olho no olho é que vai revelar os sentimentos.

    ResponderExcluir
  3. T.S.S

    Fazia tempo que não vinhas por aqui comentar...rs.
    Muito interessante a tua percepção. Este post serve para reflexão, mas não para se formar um balizador.
    Nem tão lá e nem tão cá...
    Como mesmo mencionasse, há casos que dão certo (tua irmã) e há casos que não dão (seu próprio exemplo).
    Algo é fato: Assim como no mundo real, encontraremos pessoas boas e ruins no ambiente virtual.
    Outre fato é: a internet transformou-se em um LUGAR e apenas temos que estar alertas, pois é um lugar sem lei (juridicamente falando, p.ex.).
    Mas sabedoria, equilíbrio e canja de galinha não fazem mal a ninguém, é só saber dosar...rs.

    Não há que se furtar um relacionamento via net, mas também é necessário cuidado na hora de se entregar. Simples assim

    Bjs carinhosos

    Roberta L.

    ResponderExcluir
  4. O ambiente virtual é uma caixa de surpresas.

    Sabias;

    Eu já ouvi falar de uma guria que encontrou um Leão nesse meio?!?

    É sério!!!!!

    Deve ser a goiaba que comi, mas acho que ouvi isso mesmo...

    Bsos

    ResponderExcluir
  5. Eu não comi essa tal goiabinha ainda, mas ouvi falar disso também...rs

    É seríssimo!

    Bjim

    ResponderExcluir
  6. Sempre melhor encontrar Leões que Lobos...rsrs...O próprio Jesus é um Leão da tribo de Judá...Deve ser por isso que os Leões são melhores...
    [Só pra descontrair]
    Adoro passar por aqui e ver o nome do Senhor sendo glorificado.
    Abraços fraternais.

    ResponderExcluir
  7. Sempre é bom desconstrair e abstrair da gravidade de algumas coisas...rs.

    Abraços fraternais pra ti tb

    =)

    ResponderExcluir
  8. Ih Anna... Acho que esse leão não é de Judá não...

    Me disseram que ele está banguela!!! É sério!!!

    Tem parentesco... tá mal, mas tem afinidade em linha reta....

    Abraços...

    ps: ainda comendo a tal goiaba....

    Bjos nas gurias que são de beijo, abraços na que são de abraço...

    ResponderExcluir
  9. Esse leão é cheio de peculiaridades...

    É banguela, tem afinidade em linha reta com o da Tribo de Judá e pelo que ouvi falar, é dançarino, acreditam?

    Mas o que eu sei mesmo é que ele não larga umas benditas goiabinhas...rs

    =)

    ResponderExcluir
  10. Alice, o link do seu blog tá errado.

    Eu vou discordar tbm, pq passei pela mesma situação da Alice com uma pessoa que trabalhava comigo e que deixou público que gostava de mim - e que 'enquanto isso' deixava em casa uma (imagino eu) bela esposa. Coisa de 1 ano, quando começamos.
    Ouvidos e olhos atentos, é disso que precisamos. E ouvir o coração, que sempre dá muitas pistas!

    Beijoca!
    Milena

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.