quarta-feira, dezembro 28, 2011

Em 2012...


Quando nos perguntam o que queremos para o próximo ano ou para os próximos meses da nossa vida é comum pensarmos em uma série de desejos e logo irmos respondendo coisas do tipo “quero ter mais tempo para mim”, ou “quero ter mais momentos com Deus”, ou ainda, “quero ter mais amigos”. Esses são apenas alguns dos desejos que estão em nosso coração, mas que demonstram um perigo...
Se você achou tudo isso acima legítimo e normal é porque não atentou para o fato de tudo acima estar simplesmente baseado no ter alguma coisa.
Ter.
Ter.
E o ser?
Para nós é complicado pensar em sermos algo (ou, é claro, alguém), pois isto implica mudança, paradigmas transformados, ou seja, disciplina para mudar coisas que na verdade não queremos mudar.
Por isso é mais fácil pensarmos em apenas ter, pois ter indica algo que ganhamos ou que lutamos para alcançar sem ter que transformar o nosso interior. Ora, posso conquistar mais tempo para mim, posso ter mais amigos se for aos lugares certos, posso ter mais momentos com Deus se me organizar.
Tudo isso nos leva a outro problema.
Tudo está baseado no eu.
Resultado do meu esforço.
Não necessariamente de transformação interna.
Assim, quero propor que você SEJA!
Desse modo, você não precisa ter mais tempo para Deus, pois uma vida que É consagrada simplesmente vive com Ele o tempo todo. Você não precisa de momentos de cristianismo, mas sim de SER cristão. Você não precisa ter mais tempo para você, pois, caso não tenha notado, você É você, ou seja, todo tempo que você vive já está com você por perto (estranho, mas é assim!), bastando aproveitar estes momentos de maneira mais simples e intensa. Você não precisa ter mais amigos, mas provavelmente SER mais amigo daqueles que já lhe conhecem.
Ser.
É complicado SER algo!
É complicado SER alguém!
É mais fácil simplesmente ter.
O problema nisso tudo é que o evangelho sempre nos convidou a SER!
Em 2012, simplesmente SEJA!
Marquito (@marquito_pira)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, crítica ou observação. Queremos saber o que estamos transmitindo a você.
Mas, deixamos claro que comentários ofensivos não serão publicados.